Curiosidades, Para imigrantes

A Vida De Imigrantes No Exterior

vida de expatriado

Hoje é feriado de Cristovão Colombo (Columbus Day) nos Estados Unidos. Para celebrar vamos entender o que se passa na cabeça de imigrantes brasileiros que moram nos EUA através de citações de expatriados.

Afinal, ser estrangeiro em outro país é uma experiência sigular mas ao mesmo tempo comum a quaisquer expatriados.

 

“A vida pode ser difícil por um tempo, mas eu aguentaria porque viver num país estrangeiro é uma daquelas coisas qur todo mundo deveria tentar pelo menos uma vez na vida. Meu entendimento era de que isto tornaria uma pessoa completa, lixando a aspereza provincial e te transformando num cidadão do mundo.”
David Sedaris

 

“Conhecer duas culturas é uma mistura de emoções. Uma vez que você deixa sua terra natal, nada jamais será igual”
Sarah Turubull

 

A Síndrome do Expatriado é uma condição na qual muitos expatriados vêem somente o melhor de sua nacionalidade e o pior dos locais, ou vêem o oposto. Expatriados que criticam somente o país no qual eles escolheram viver, são como um marinheiro que exige que os ventos soprem somente de acordo com suas habilidades marítimas.”
T. Crossley

 

“Não sou o mesmo desde que vi a Lua brilhar do outro lado do mundo. Toda vez que me sinto como um estranho dentro do meu próprio país, me lembro que não há nada de errado comigo (ou com os compatriotas). Simplesmente me sinto assim pois vi a Lua brilhar do outro lado do mundo (e os compatriotas ainda não tiveram essa oportunidade).”
Cheers Dorothée

 

“O que faz a vida de um expatriado tão viciante é que qualquer tarefa mundana e chata que você fazia na sua terra natal (tal qual, compras, ir para o trabalho …) de repente se transforma numa aventura emocionante. (…) Quando no exterior, o tédio, a rotina e o “normal” deixam de existir. E tudo que resta é a emoção e desafio da incerteza.”
Reannon Muth

 

Mora nos Estados Unidos? Já se sentiu (ou se sente) das maneiras descritas nas citações acima? Conte sua história para nós nos comentários abaixo!

Quer saber mais?

Gostou do Post? Compartilhe usando is ícones  de redes sociais em cinza abaixo.

4 comentários sobre “A Vida De Imigrantes No Exterior

  1. Não Srs., nunca morei no exterior, mas conheço 11 países.Alguns fui mais de uma vez, caso dos Estados Unidos.
    No Brasil, morei em vários estados, com suas diferenças de costumes e quase de língua.
    Mas tenho procurado nas minhas viagens , fazer meu próprio roteiro, fugindo dos roteiros convencionais.
    Vou nos lugares que as pessoas comuns procuram , leio , mesmo que com alguma dificuldade, seus jornais, visito os bairros, converso com os moradores, caminho, dirijo milhares de milhas, ouço suas rádios e principalmente me desconecto do arroz e feijão com guaraná.
    Admiro a liberdade e a segurança, que perdemos, os preços e impostos justos e a diversidade dos itens nas lojas e supermercados.
    Realmente não sinto falta de nada do Brasil, me perdoem os mais patriotas.
    Planejo minha aposentadoria e a venda dos meus ativos,para a mudança.
    Felizmente faltam poucos anos, e são muitos os destinos possíveis.

  2. Oi Lu, acompanho seu blog há alguns anos, desde que era solteira. Sempre tive curiosidade, vontade, de saber como era a vida nos EUA e seu blog me ajudou muito. O tempo passou e acabei deixando essa vontade na geladeira. Sou casada hoje há 6 anos, não tenho filhos, e recentemente minha irmã mais nova ingressou na área de TI e esta batalhando para se mudar para aí. Como minha irmã tem esse sonho, isso acendeu aquele meu sonho antigo novamente, e do meu marido também, que trabalha numa área em que é possível exercer a profissão, se fizer uma espécie de mestrado nos EUA. Até aí tudo bem. Entretanto, tem algo que me tira o sono ultimamente: e a saudade? Ter a possibilidade de estar perto da minha irmã me conforta, mas minha família tem descendência italiana, inclusive minha mãe possui dupla cidadania… Então podes imaginar. Somos extremamente apegados uns aos outros, meu pai almoça na minha casa ao menos 2 vezes por semana, temos o costume de falar com minha avó paterna pelo telefone todos os dias e de vê-la sempre que possível, temos uma relação muito forte com tios, primos… Inclusive hoje eu e meu marido moramos no mesmo terreno que meus avós maternos pois são muito idosos e com problemas de saúde. Por um lado, eu e meu marido estamos muito animados com a possibilidade de mudança para os Estados Unidos. Por outro lado, a família pesa MUITO pra mim. Me sinto péssima quando penso que estarei privando meus filhos de crescerem como eu cresci, rodeada pela família. Aí paro e penso, que também estarei os privando de terem uma vida melhor. Enfim, é uma enxurrada de sentimentos e isso me causa muitas dores de cabeça. Meu marido está super decidido e estamos na fase da escolha do estado e cidade agora. Ainda não contei pra ele como me sinto pois não temos nada muito concreto nessa fase, mas sei que não posso esperar muito para conversar com ele a respeito. Penso em levar meus pais juntos, não sei. Desculpe o post enorme e agradeço imensamente pela paciência em ajudar tantas pessoas. Como foi pra você, Lu? Como driblou tudo isso?

  3. Então Sweetpunch, eu já morava longe da maioria dos meus familiares no Brasil há anos, então para mim não senti tanto, mas sempre falo e mantenho contato com todos online. A tecnologia ajuda bastante a matar saudades. Claro que não é a mesma coisa, mas é um sacrifício que você tem que ver se vai valer a pena para você e isso é uma escolha pessoal. Seus pais e sua irmã poderão tirar visto de turista para visitar você e sua família. Se eles são aposentados poderão te visitar regularmente, sua irmã vai poder te visitar nas férias dela. Agradeço por acompanhar o blog por tantos anos! Sucesso para você e sua família.

Faça parte da conversa: