A Legalidade E Ilegalidade Nos EUA

histórias de quem conseguiu o green card e de quem o perdeu
por judemat via flickr

Entre as perguntas que recebo estão as seguintes:

 

 

“Tem emprego para imigrantes ilegais nos EUA?”

 

“Como é morar ilegal nos EUA?”

 

“Dá para ficar morando ilegal nos EUA”

 

Entre outras perguntas do tipo… Algumas são diretas assim e outras mais indiretas. Dá para perceber que o interesse nesse assunto é significativo e que alguns ainda consideram essa rota.

E antes de mais nada… Não recomendo que ninguém faça isso e nem apoio tal coisa, mas essa é minha opinião e há outras opiniões divergentes pela internet e até mesmo dentro de grupos e comunidades de brasileiros que vivem nos EUA. Alguns brasileiros apoiam, outros não e há aqueles que não se pronunciam sobre o assunto. Cada um tem direito a sua opinião.

Das pessoas que perguntam esses tipos de coisa, algumas sequer se informam sobre os procedimentos legais de migrar para os EUA em primeiro lugar (ou seja, a intenção dele é e sempre foi de vir ilegal e/ou vir legal e ficar ilegal de qualquer maneira).

Mas há outros que pesquisam sobre vistos e tudo mais e desistem do sonho de imigrar legalmente devido a falta de requisitos que eles têm para tirar qualquer um dos vistos dados pelo consulado.

Há também aqueles que não querem ficar ilegal e /ou lutam para manter seus status dentro do país, como esses:

 

“Qual o passo a passo para não viver ilegal nos EUA”

 

“Como posso fazer tudo legalmente para morar nos EUA?”

 

Infelizmente, mesmo com boas intenções de fazer tudo da maneira certa, ainda há aquelas situações nas quais a pessoa está aqui com status legal e cai fora de status. Pouco se fala desses casos.

E devido à complexidade das leis de imigração e demora dos processos imigratórios isso pode acontecer com qualquer um, incluindo imigrantes legais em processo, ou seja, até com aqueles que fizeram tudo direitinho, seguiram todas as regras e etc. Tem gente que não sabe disso e tem gente que prefere não pensar nessas possibilidades.

Então, se você não tem o green card e não é cidadão americano e mora nos EUA, pode acontecer com você, com seu cônjuge, com sua família, com seus amigos e/ou conhecidos, com o amigo do seu amigo, com sua babá.

E as maneiras desse tipo de coisa acontecer são inúmeras. Se você quiser ler exemplos de imigrantes que caem na ilegalidade, da longa espera na famosa fila do green card, de erros em processos imigratórios e da burocracia dos mesmos, recomendo essa coletânea de artigos da da jornalista americana Rachel Glickhouse que descreve diferentes tipos de casos imigratórios (em inglês): My time in line.

Rachel é casada com um carioca e ele conta o que eles sentiram na pele ao passar pelo processo do visto K1 (essa parte em português, se não me engano). Mas há outras histórias interessantes e incríveis na coletânea, as quais você não crê que tenham acontecido mas que acontecem todos os dias e com imigrantes de todas origens dentro do país.

Depois de ler a mesma você entenderá que até conseguir o sonhado cartão de residência permanente, ninguém está livre disso acontecer com eles.

Seu emprego pode fechar as portas e você perder seu visto de trabalho, por exemplo, você, seu advogado ou o advogado da sua empresa podem cometer um erro (pequeno mas grave) ao preencher os documentos de imigração e seu processo pode ser fechado ou se estender por mais tempo ainda, alguém pode extraviar sua papelada, alguém pode imprimir seu documento errado e causar uma dor de cabeça enorme, sua espera pelo green card pode demorar décadas e outras situações absurdas do mundo imigratório.

Ao se deparar com esses obstáculos, alguns imigrantes vão desistir de morar nos EUA e/ou abandonar seus processos no meio do caminho. Outros vão se desdobrar para manter seus status ou até decidir ficar fora de status dentro do país. Não estou aqui para julgar nenhum deles pelas escolhas que fizeram, apenas para mostrar que há inúmeras situações que podem levar a esse tipo de coisa, ao contrário do que a mídia divulga sobre ilegais no país.

As leis imigratórias americanas são complexas, os processos demorados e cheios de “armadilhas” que complicam os mesmos e  para ilustrar essa situação resolvi fazer uma entrevista, um pouco diferente, com a Mary do blog BlueAlice.

Ela, que nos contou primeiro da sua vida em Orlando, na Flórida,  vai dizer sobre como veio para o país e acabou caindo na ilegalidade e o que ela fez para dar uma reviravolta nessa situação e mais. Leia a entrevista com ela a seguir:

 

Viver Nos EUA: Pode contar sua história, como você acabou ficando ilegal no país e por quanto tempo você ficou nessa situação?

 

Mary: Bom, a minha história é meio longa, mas irei tentar resumir. Como minha família sempre veio para os EUA, desde pequena eu sempre soube que um dia viria também.

Demorou bastante, mas finalmente com 20 anos (ano de 2012) eu decidi trancar minha faculdade de Nutrição e me mudar para New Jersey para morar com meu pai, que já está aqui há anos… No início, meus planos eram estudar, infelizmente não deu certo e foi aí que fiquei ilegal. Fiquei nessa por uns dois anos até conseguir o visto de estudante.

 

V.N.E.: Algumas pessoas que entram no blog estavam buscando informações sobre os pormenores do cotidiano nos EUA sendo ilegal. Conte para nós quais as maiores dificuldades e restrições que você enfrentou nessa situação e como você lidou com elas?

 

Mary: Quando eu me mudei, eu abri uma conta no Bank of America na mesma semana, o banco aceita você abrir conta somente com seu passaporte, não sei se ainda funciona assim.

Eu não tirei carteira aqui enquanto estava ilegal, então não sei dizer como é o processo, agora alugar imóveis, arrumar empregos é mais “fácil” por causa da cidade em que fui morar em New Jersey, a cidade se chama Newark e é constituída por 90% imigrantes sendo mais da metade ilegais.

É um absurdo, mas é a realidade. Então não tive muitas dificuldades em relação a isso. Claro que para abrir negócios é impossível se você não tem documentos. Mas dá pra conseguir emprego tranquilamente.

 

Infographic: The States With The Most Unauthorized Immigrants | Statista
via Statista

 

V.N.E.: Dessas dificuldades, qual foi o pior aspecto de ficar sem documentos no país na sua opinião?

 

Mary: O pior aspecto é a forma como você é tratado pelos seus patrões no trabalho. É um menosprezo, umas pessoas pretensiosas te tratando como se você só tivesse esse emprego na vida.

 

V.N.E.: Você acha que o estado no qual você morava te ajudou de certa forma a se manter nessa situação?

 

Mary: Com toda certeza do mundo! Eu jamais conseguiria viver tranquilamente se estivesse ilegal aqui em Orlando por exemplo.

 

V.N.E.: Na sua opinião, há alguma vantagem em “ir ficando” nos EUA?

 

Mary: Olha, depende muito! No meu caso, foi uma vantagem imensa. Eu praticamente virei adulta aqui, e apesar das dificuldades, eu tive muitas oportunidades maravilhosas que valeram todo o sofrimento do começo.

As vantagens são as oportunidades que podem surgir, já vi várias pessoas que conseguiram o green card através de emprego, ou até vantagens mais simples como poder comprar o que você quiser, a segurança, o lazer… Ah, são tantas coisas.

 

V.N.E.: Ouve-se muito e vemos notícias em jornais brasileiros de esquemas de exploração de pessoas sem documentos dentro dos EUA. Como foi sua experiência em relação a isso? Aconteceu contigo?

 

Mary: Aconteceu sim, já fui muito explorada em ambiente de trabalho por justamente acharem que eu dependia do emprego, só que eu tenho meus limites e quando já não aguentava mais, eu falava algo, ou então largava o emprego!

 

V.N.E.: Outra pergunta comum que recebo é se compensa ficar ilegal nos EUA. O que você tem a dizer sobre isso ?

 

Mary: Se você tem família no Brasil e eles não podem vir com você, não acho que compensa ficar ilegal aqui. Agora, como no meu caso, que não tenho laços fortes no Brasil, foi a melhor decisão que tive, de permanecer aqui mesmo ilegal na época.

 

V.N.E.: Você alguma vez pensou em voltar para o Brasil por causa da sua situação ou por outro motivo?

 

Mary: Nossa sim, demais! Quase todo mês haha. Por causa da saudade, porque na época não tinha esperanças de que teria uma vida melhor… Mas como sempre, passou rápido essa vontade de voltar. O Brasil nunca foi minha casa.

 

V.N.E.: Conte para nós como você conseguiu se legalizar.

 

Mary: Primeiramente foi com o visto de estudante, fui fazer um curso de inglês somente por causa do visto, mas recentemente eu me casei, então através do meu esposo eu obtive o green card.

 

Termina aqui a entrevista com a Mary. Agradeço a ela por se abrir conosco e contar sua história. Se você quiser entrar em contato direto com ela, ela tem perfil no instagram e canal no YouTube.

Você enfrentou algum obstáculo durante seu processo imigratório que quase colocou tudo a perder? Algo deu errado no seu processo? O quê? Compartilhe conosco sua história e obstáculos de imigração nos comentários abaixo.

Quer morar nos EUA? Veja as dicas.

Gostou do post? Compartilhe!

More about Lu

Seja bem vindo à perspectiva de uma brasileira sobre a vida e cultura dos Estados Unidos. A Brazilian take on the American Way of Life.

Comments

  1. quero ir legal, porem esta faltando oportunidade, ainda mais agora..
    gostaria de saber o que seria mais certo no meu caso ?
    sem parentes la, ou investimentos

  2. Olá Diego. Estude e se forme ou termine (não sei sei nível escolar) uma faculdade numa profissão com alta demanda aqui e tente tirar um visto de trabalho. Para morar aqui sem parentes imediatos e sem ser por investimentos só mesmo através de trabalho.

    tenha uma ideia do que precisa e como se preparar para tirar o visto de trabalho mais comum, o H1B aqui.

    Sucesso!

Leave a Reply

Faça parte da conversa: