O Partidarismo Nos Estados Unidos

partidarismo nos Estados Unidos
por donkeyhotey via flickr

Uma das diferenças entre o sistema político brasileiro e americano é que há menos partidos políticos de peso aqui. Dois partidos com maior presença nacional, o republicano e o democrata, e os independentes, os quais geralmente votam com os democratas em diversos tópicos mas de pouca influência no âmbito nacional. Mas há outros partidos menores nos EUA, praticamente desconhecidos, veja uma lista deles aqui.

O vídeo abaixo (em inglês) fala um pouco sobre a mudança que tem tomado parte do cenário político americano nas últimas décadas:

As ideologias dos dois partidos americanos são as seguintes:

O partido democrata é o partido de ideologias liberais nos Estados Unidos. Democratas são, em sua maioria, a favor de programas sociais amplos, eles costumam ser menos religiosos, são a favor dos direitos reprodutivos das mulheres, de igualdade entre os sexos e em relação a minorias – incluindo imigrantes , a favor de menos gastos militares e menos intervencionismo no exterior.

Já o partido republicano é o oposto, ele é o partido de ideologia conservadora nos Estados Unidos. Republicanos são, em sua maioria, a favor de cortar gastos públicos, a favor de gastos com militarização, eles costumam ser mais religiosos, são a favor de restringir os direitos reprodutivos das mulheres e negam que qualquer desigualdade, seja entre os sexos, racial e em relação a qualquer minoria sequer exista dentro dos EUA. Eles também costumam ser anti-imigrantes, são a favor de pouca regularização de corporações e a favor de forte intervencionismo em outros países.

 

 O que cada partido americano apoia e é contra?

Segue aqui um resumo das posições dos republicanos, democratas e libertarias em relação a diversos tópicos:

Assunto Republicanos Democratas Libertarians
Direito ao porte de armas a favor contra a favor
Discalização de atividades policiais contra contra a favor
Aumentar impostos contra a favor contra
Tax Reform (aumentar taxação dos mais ricos e diminuir a dos mais pobres) contra a favor contra
Social Security (programa do governo de aposentadoria e invalidez) contra a favor Escolha do cidadão se quer participar ou não
Separação da Igreja e Estado contra a favor a favor
Busca por fontes de energia limpas contra a favor contra
Pena de morte A favor contra Não se pronuncia sobre o assunto
Sistema de saúde universal contra a favor contra
Limites ao financiamento privado de campanhas eleitorais contra a favor contra
Legalização de casamentos gays contra a favor a favor
Apoio a restrições imigratórias a favor contra fronteiras abertas
Direito ao aborto contra a favor a favor
Novas leis de Voter ID a favor contra contra
Concorrência monetária (bitcoin, por exemplo) contra contra a favor
Novas soluções para eliminar a pobreza não se pronuncia sobre o assunto contra a favor
Free market contra contra a favor
Aumentar impostos contra a favor contra
Votação em ranque (vota para o melhor e os melhores em sequencia) contra a favor a favor
Apoio a sindicatos dos trabalhadores e a mais leis trabalhistas contra a favor  —
Legalização da maconha contra contra a favor
Fim da Guerra às drogas contra contra a favor
Apoio a paz internacional contra contra a favor
Fontes: Inside Gov, LPMN

 

É importante lembrar que nem todos os cidadãos que são registrados num partido ou outro concordam ou apoiam a posição de seus partidos em relação a todos os tópicos citados acima. Como veremos abaixo há uma gama de possibilidades políticas e no fim do texto você poderá saber até onde você se encaixa no espectro político americano.

O gráfico abaixo mostra a inclinação política (de esquerda -azul e de direita- em vermelho e cinza para quem é indiferente, não tem inclinação ou outra opção) dentro de diferentes grupos religiosos nos Estados Unidos:

 

as diferencas mais marcantes do partido republicano e democrata nos EUA
The Political Leanings Of US Religious Groups | via Statista  You will find more statistics at Statista.com

 

Em 1994, 49% dos americanos achava que possuía tanto opiniões tanto democratas quanto republicanas.

Duas décadas depois, o número de pessoas com perspectivas de ambas ideologias caiu para 39%, enquanto o número de pessoas extremamente conservadoras e liberais aumentou.

Com isso a visão que se tem de ambos partidos está cada vez mais desfavorável e gera a polarização política atual, na qual um lado discorda e não quer sequer ouvir o que o outro partido tem a dizer.

27% dos democratas e 36% dos republicanos acham que o outro partido é uma ameaça para o país! Um pouco extremo, não?

E a razão para isso é que como o vídeo mesmo diz essa divisão “não é só uma questão  política, é sobre a way of life”, ou seja, sobre estilos de vida considerados perfeitos de acordo com a maioira dos republicanos versus a dos democratas e o que seria melhor para o estilo de vida do país inteiro. A passagem a seguir mostra como a identificação política pode influenciar nas escolhas do estilo de vida e como  às vezes é fácil saber qual a preferência política de americanos simplesmente observando as escolhas deles:

 

“Affinity for, identification with, or embrace of Red America’s various cultural cues. (For example, gun ownership, a preference for single-family homes oriented around highways rather than urban enclaves organized around public transit, embrace of country music, disdain for arugula and fancy mustard, etc.)”₁

“Afinidade por, ou identificação com, ou apoio aos valores culturais da América Republicana (Red = cor do partido republicano). Por exemplo, direito ao porte de armas, preferência por casas suburbanas ao invés de habitações no centro rodeadas de trasnporte público, adoção da música country, desdém por rúcula e mostardas chiques, etc.”

Ambos acham que se o partido rival tiver poder vai restringir o jeito de vida deles e colocar o país em risco. O tipo de risco depende da ideologia política em questão. Por exemplo, um lado tem medo de intevenção religiosa em tudo, o outro de gays.

Então, enquanto a maioria dos americanos ainda tem um pouco das perspectivas de ambos partidos, como nos EUA votar não é obrigatório, esses últimos são os que menos se envolvem em política e os que menos votam.

Resumindo, o futuro do país se centraliza nas mãos de pessoas com pontos de vista extremos de ambos partidos, pois são eles os que vão às urnas sem falta.

O que também dá nascimento aos extremos ideológicos que temos visto em certos candidatos (tanto da direita quanto esquerda) que estão concorrendo para a presidência americana. Afinal, os candidatos vão querer chamar a atenção e obter os votos de quem vota.

Onde seus valores se encaixam no espectro político americano?

Quer saber se você seria considerado conservador ou liberal de acordo com as linhas dos partidos americanos? Assista o vídeo abaixo para saber (se não souber inglês, tradução abaixo):

 

 

De acordo com o vídeo, o qual é baseado nas pesquisas do Pew Research Center, não há somente 2 tipos políticos no qual americanos se enquadram. Há na verdade 8 tipos de eleitores nos Estados Unidos:

Desses, 36% cai no lado extremo, ou seja, em um desses 3 tipos a seguir:

  1.  O dos conservadores firmes;
  2. O dos conservadores de negócios;
  3. O dos completamente liberais.

 

Já 54% dos americanos está em cima do muro se enquadram em 4 tipos:

  1. Os Jovens liberais;
  2. Os céticos;
  3. Os futuros jovens de esquerda;
  4. E os liberais religiosos.

Os Jovens liberais são jovens com idéias liberais em relação a tópicos sociais (característica democrata)porém são a favor de pouca intervenção do governo (característica republicana).

Os céticos, são os que sofreram com a recessão e portanto não confiam no governo (característica republicana, já que o atual governo é de um democrata)., porém ao mesmo tempo eles são a favor de programas sociais que ajudam americanos passando por necessidades. Afinal, eles provavelmente passaram por situações difíceis e entendem esse lado, o que é uma característica tipicamente democrata.

Os futuros jovens de esquerda: Eles são jovens, com visão liberal e de famílias afluentes. Eles concordam com a necessidade de oferecer benefícios para a população (característica democrata), porém temem os custos disso tudo (característica republicana).

Os liberais religiosos, como o nome já diz, são liberais mas consideram família e religião como base do sucesso futuro do país (característica republicana). A visão que eles tem são democratas, eles são de diversas etnias ( o eleitorado democrata é mais diverso etnicamente), mas devido a influência religiosa, não são a favor de todas reformas sociais como casamento gay, por exemplo (característica republicana).

Esses quatro tipo podem votar e apoiar  qualquer lado durante as eleições presidenciais.

O último tipo de eleitorado nos EUA são os espectadores, os quais são 10% da população. Como seu nome diz, eles podem até assistir o que se passa no campo político mas não se envolvem nas eleições.

O vídeo acima mostra as características mais marcantes dos 8 tipos de eleitores nos Estados Unidos. Se ele não foi o suficiente para você classificar seu tipo, responda a essas perguntas no site do Pew Research Center  (em inglês) e conte para nós o resultado nos comentários abaixo. Talvez você se surpreenda com o seu tipo político.

E se você vai votar nas primárias, aproveite para contar para quem você vai votar e (importante aqui) o porquê.

Fontes dos dados no artigo: 
Pew Research Center 
₁"What Americans mean when they say they're conservative". The Atlantic. 27 January 2012.<http://www.theatlantic.com/politics/archive/2012/01/what-americans-mean-when-they-say-theyre-conservative/252099/>.

  

Saiba mais sobre os eua!

Gostou do post? Compartilhe!

More about Lu

Brasileira casada com americano. Moro nos EUA há mais de uma década.

6 thoughts on “O Partidarismo Nos Estados Unidos

  1. Thiago Vinhas

    Post bem tendencioso. Dizer que os republicanos são à favor da restrição dos direitos reprodutivos das mulheres, anti-imigrantes e negam a existência de desigualdades, ou é falta de conhecimento ou falha de interpretação.

    Como imigrante e republicano, nunca vi um candidato do GOP (e olha que assisti à todos os debates republicanos) ter sequer um discurso anti-imigrante. O que eles são TODOS contra é a imigração ilegal. Querendo ou não um imigrante ilegal está cometendo um crime e isso o torna um criminoso. Não há como defender a legalização do crime!

    Outra interpretação nem razão, para não dizer desonesta é a da “restrição dos direitos reprodutivos”. Os republicanos são tradicionalmente contra o ABORTO, e esse não é um direito da mulher. Ao contrário do que os esquerdistas dizem, I feto é uma vida que está temporariamente abrigada no útero da mulher e não um amontoado de células.

  2. Alberto Machado

    Olá Lu, muito prazer. Acompanho o seu blog já faz algum tempo e devo dizer que acho ótimo, com muitas informações interessantes sobre os Estados Unidos. Este último post não está diferente : muito esclarecedor mostrando inclusive outros aspectos do bipartidarismo americano que passam despercebidos pela maioria das pessoas. Devo entretanto dizer sinceramente que , assim como o Thiago Vinhas escreveu, há um entendimento por parte dos meios de comunicação e da opinião pública sobre várias questões que aparecem no debate político americano que estão contaminados pelo ” politicamente correto”. Considero que questões como o problema dos ilegais e do aborto são mais acertadamente tratados pelo ponto de vista dos republicanos. Como exemplo, o caso dos “direitos reprodutivos” que não deveriam ser apenas das mulheres no sentido de ter poder de vida e morte sobre os embriões ou fetos, que são vidas humanas. É injusto que que os republicanos sejam sempre retratados como “maus” ( retrógrados , preconceituosos ou intransigentes ) e os democratas como “bonzinhos” (progressistas, inclusivos, de mente aberta ). As questões citadas requerem sempre um aprofundamento e não devem servir para rotular os republicanos como ruins ou democratas como bons.

  3. Lu

    Thiago Vinhas,

    Aqui a razão: Aborto faz parte dos direitos reprodutivos das mulheres. Aborto é legal nos EUA e ninguém tem que se meter nas escolhas de uma mulher que pense em fazer tal coisa. Essa não é uma interpretação, é a realidade. Goste ou não dela, seja por qual motivo for.

    “o ABORTO, e esse não é um direito da mulher” Uau essa parte nem merece uma resposta.

    Cruz quer diminuir o número de vistos H1B disponíveis e “parar a imigração legal”, palavras dele, não minha, se o desemprego nos EUA for maior que certo número. Ele quer acabar com o processo de cidadania adquirida por nascimento. Sabe quanto tempo demora para alguém receber o green card atraves de um filho nascido nos EUA? Mais que 2 décadas! Tem gente que faz isso, claro que tem mas é ridículo pensar que que eles recebem benefício imigratório algum automaticamente.

    Quanto aos que você chama de “criminosos” Cruz disse que vai criminalizar quem fica ilegal, viu a palavra “criminalizar”, por que ele disse isso? Por que fazer tal coisa não é considerado crime pelas leis americanas, voce como imigrante deveria saber disso.

    Mas não aceite minha palavra, não… Recomendo que você se informe a fundo sobre o assunto que você verá que chamá-los de criminosos não é só desonesto mas faz parte da tática para ganhar votos de gente que não se informa sobre o sistema legal imigratório americano. Mas não posso culpar os americanos de não saber disso, afinal eles são cidadãos, mas imigrantes… é DEVER deles saber a diferença.

    Posso citar inúmeras instâncias de republicanos tentando bloquear uma reforma imigratória que vá beneficiar os imigrantes LEGAIS. Alguns republicanos querem extinguir a possibilidade do green card através de irmãos (espero que você não tenha irmãos ou irmãs que queiram imigrar para ter uma vida melhor aqui perto da sua família e se tiver é melhor correr por que essa fila pode acabar) e dos vistos baseados em diversidade. Essas são leis visadas a imigrantes legais e não a imigrantes ilegais. Toda vez que uma reforma imigratória é colocada na mesa para agilizar os processos imigratórios, o que beneficia imigrantes que estão na famosa fila do green card e futuros imigrantes, qual o partido que dificulta tudo? Republicanos. Se isso não é anti-imigrante, não sei o que é.

    E o pior é que alguns deles usam da fronteira com o méxico (e de certo xenofobismo) para martelar para o povo, que em sua maioria é ignorante de leis imigratórias, que a solução para o problema é o bendito muro. Num passe de mágica a imigração ilegal vai acabar!

    Guess what? Canadenses sao os que mais ficam ilegais dentro do país e não mexicanos! O número de ilegais que entram pelo México caiu e Obama pode ter assinado as ordens executivas, mas 1, elas sao inuteis em relacao a cidadania, nao dao direito a muita coisa para começo de conversa e ele deportou mais gente do que Bush. Mas é claro que republicanos não vão tocar nesses assuntos pois não ajuda eles a vender seu produto.

  4. Lu

    Olá Alberto, muito obrigada por ler o blog. O prazer é meu. Você certamente se expressou muito melhor que nosso amigo do outro comentário. Olha, sou completamente contra a onda PC (os democratas tem que parar com isso ontem!) estou contigo nisso mas aborto é legal nos EUA, faz parte dos direitos reprodutivos femininos e mulheres têm o direito de escolher se querem o não fazer um.

    Isso não quer dizer que aborto será usado como método anticoncepcional e que quem faça essa escolha não sofra por causa disso, afinal, há casos onde uma mulher (em certos casos menina, moça) busca essa alternativa por razões extremas (como estupro, por exemplo) e a escolha é sempre difícil. Temos que lembrar disso também. Quem somos nós para julgar essas mulheres pelas escolhas delas? É importante ver os dois lados.

    Não houve uma rotulação de nenhum dos lados, não disse que todos republicanos sejam “maus” ou democratas “bonzinhos” mas o conssenso das opiniões dos republicanos e democratas sobre tópicos de importância, o texto diz a maioria pois é o consenso geral das opiniõse mas o texto também afirma – o que é muito importante – que há um enorme espectro político do eleitorado americano, nem todos são 100% um partido ou outro.

    Claro que há os extremistas, dos dois lados, e na minha opinião qualquer extremo é ruim (senão ridículo) seja de um lado ou do outro.

    P.S.: Ah, e como explicar que a maioria dos republicanos é a favor da pena de morte? Se o que conta aqui é a vida, então não deveriam ser contra a pena de morte também? Food for thought.

  5. Alberto Machado

    Cara Lu,
    Obrigado por ler o meu comentário. Não vou aqui fazer uma espécie de ping-pong nos comentários pois seria enfadonho para você e também para mim. Apenas quero dizer que quanto ao fato do aborto ser legal não significa que seja necessariamente lícito ou ético. Há leis boas e ruins e considero particularmente que a permissão do aborto é uma lei injusta. Desculpe-me a franqueza mas o aborto não é direito reprodutivo da mulher e não podemos comparar o combate ao aborto com a defesa da pena de morte. Um diz respeito ao direito à vida dos inocentes ( embriões e fetos que não pediram para estar ali e que nada fizeram de errado) e o outro caso refere-se à punição dos que cometeram algum crime grave. Você é uma pessoa muito bem informada mas aceite um conselho de um simples seguidor : informe-se mais ( veja o outro lado da questão) sobre este tema que sei que é muito espinhoso. Abraços…

  6. Lu

    Olá Alberto,

    Vamos ter que agree to disagree, como americanos dizem. Abraços.

Faça parte da conversa: