A Diferença De Quem Imigra E De Quem Desiste

Muita gente me contata pedindo dicas dos melhores caminhos imigratórios. Vou ser direta e dizer que a maioria deles NÃO se encaixa no perfil perfeito para conseguir imigrar amanhã (ninguém na verdade consegue fazer um processo imigratório num só dia mas espero que você entenda meu ponto aqui).

Isso mesmo, embora muitos deles estejam desesperados com a situação atual no Brasil, descontentes com os governantes, com a violência, com a falta de infraestrutura e de educação de qualidade, enfim, com a falta da possibilidade de um futuro melhor.

Até aqueles que tem o que se chama de uma “vida boa” no Brasil estão cada vez mais se interessando em sair do país em busca de uma vida melhor. Esses, inclusive, são os que mais me contatam nos últimos anos.

Ainda assim eles não tem todos os requisitos suficientes para imigrar para os EUA ou para outros países. Alguns dos que têm tudo para fazer isso não querem sair do Brasil! (mas isso é assunto para outro post).

Quero deixar claro que não estou falando isso para desanimar ninguém e sei que alguns dos que me perguntam tais coisas e obtém uma resposta minha desse tipo (por que não vou mentir, oras) podem vir pensar dessa maneira e venham a ficar irados ou  em denial (ou seja, num estado mental que nega que isso seja verdade só por que contraria suas expectativas da realidade).

Estou dizendo isso pois conseguir imigrar para os Estados Unidos (ou para outro país) não é questão de sorte. A diferença entre quem consegue imigrar e quem perde o sonho de imigrar é ter a iniciativa de correr atrás dos requisitos necessários para conseguir o visto certo.

Viu que eu disse o visto certo? Pois é, por que pegar o primeiro visto que aparecer não vai satisfazer seus objetivos nos EUA, vai? Aquele visto de turista não vai te dar permissão para trabalhar ou estudar ou de morar indefinitivamente aqui.

Aquele visto de estudante provavelmente não vai te dar permissão de trabalhar aqui, vai? Pedir asilo provavelmente não vai dar certo pois embora (e infelizmente) o Brasil esteja numa guerra civil diária, ele não é um dos países da lista de asilo.

É preciso entender também que aprender ou melhorar o inglês não é frescurite e sim necessidade básica nos EUA.

Pessoas que conseguem imigrar para os EUA lutaram para obter tudo isso, elas correram atrás dos requisitos necessários, elas buscaram aprender pelo menos um pouco de inglês, elas buscaram informações sérias nos sites oficiais sem preguiça alguma, elas pediram ajuda para aquele amigo/a que sabe inglês bem ou usaram o google translator se preciso para entender uma página online que não tem versão em português.

Elas conversaram com advogados e souberam evitar os malandros que se passam por tal, elas buscaram saber como o processo para o caso deles mesmo se contrataram um advogado de imigração, elas trocaram idéias com outros imigrantes porém sabem que cada processo é único e que cada um tem uma experiência singular no exterior.

Elas foram verificar a veracidade da história mirabolante ou esquema fácil para conseguir o green card que amigo do amigo de fulano contou.

Enfim, elas sabiam que tinham esse sonho de imigrar, elas se informaram e se prepararam. É claro que alguns tem um pouco da sorte de ter amigos e familiares que já entendem do assunto, que já sabem o idioma mas nem todos têm essa sorte.

Alguns tem um pouco da sorte de ter um parente cidadão, por exemplo, mas a sorte acaba ali – alguns dos processos através de patrocinadores que são cidadãos e residentes permanentes (leia-se quem tem o green card) podem demorar uma década.

Depois disso é preciso correr atrás do processo da mesma maneira e dificuldades podem surgir no caminho imigratório de qualquer um, porém se você estiver preparado para tal, suas chances de conseguir viver nos EUA aumentarão consideravelmente.

Há sempre duas opções: Uma (a mais fácil) é desistir do sonho e ficar na fantasia, a outra (mais complexa) é de correr atrás do que é preciso e colocar o sonho em ação, demore o que demorar, pois como disse no começo do texto, nenhum processo imigratório acontece da noite para o dia.

E é isso (e especialmente a parte do demore o que demorar) que parece iludir (e irritar) muitos dos que têm o sonho de viver nos EUA e alguns dos que me contatam.

Qual caminho você vai escolher: O mais fácil e se arrepender ou até se enrolar depois ou o mais complexo e que mudará sua vida para sempre? A escolha é sua.

Se você quiser checar alguns requisitos e entender mais dos processos imigratórios para os EUA, leia alguns dos artigos do blog que recomendo sobre o assunto:

Como foi sua história para conseguir a residência permanente e cidadania nos EUA? Conte para nós abaixo e quem sabe mais brasileiros que sonham em viver aqui entendam como as coisas realmente são e se preparem para tal.

 

Quer saber mais sobre os EUA? Leia os ebooks da Lu!

Gostou do post? Não gostou do post? 😛  Compartilhe!

More about Lu

Seja bem vindo à perspectiva de uma brasileira sobre a vida e cultura dos Estados Unidos. A Brazilian take on the American Way of Life.

Comments

  1. eu amo os Posts da Lu,por isso vou dar meu pitado,eu sei,alias eu nunca assisti a novela que dizem que a Sol.,Debora Seco atriz queria ter uma vida melhor,era imigrante ilegal e sei la mais o que,o fato e que:eu nunca,jamais em toda minha vida,.queria conhecer os EUA,nunca tive interesse,quem me conhece sabe,mas eu queria conhecer outro Países claro,mas foi pela sorte,e mais pela vontade de Deus mesmo,que conheci um americano,ja orava e pedia a Deus um esposo muitos anos e tal,dai ficamos nos conhecendo por dois anos,ele sempre ia para o Brasil,um dia me pediu em casamento,aceitei claro,porque eu estava apaixonada,então fiz todos os documentos,etc,so que….

    eu não sabia,nunca ninguém me disse,eu realmente nunca procurei saber sobre isso,que eles poderiam me negar o visto,porque o meu marido americano,não me disse que eles poderiam me deportar caso eu não tivesse meus documentos legais,e acreditem,eu não sabia ,então fui pra Sao Paulo,meu futuro marido,agora marido ne,rs,me disse:ah você vem pra Disney,eu te pego la,você e os meninos,dai me caso com você e você nunca tera problemas,MENTIRA,mas hoje eu sei,ele não fez por mal,nem ele se informou como eram os procedimentos legais,ok,na entrevista negaram de cara,voltei pra casa frustrada,mas não desesperada,apenas acreditei que não fosse da vontade de Deus,mas meu americano sim,ficou desesperado,dai foi correr atras dos meios legais,e então,recebi uma montanha de papeis em casa,da advogada americana,pra eu assinar,foi pedido visto de noiva,

    fui mais uma vez pelo visto,eu e meus filhos,so que marcaram desta vez no Rio de Janeiro,chegamos la,tudo tranquilo,nos deram na hora,chegando aqui,menos de 3 meses que era a data pra nos casarmos,ja estávamos casados,isso aqui e tudo rápido,e hoje fazem 7 anos que aqui estou,confesso que não sabia inglês,uma regra básica como diz a Lu,melhor aprender pelo menos o básico primeiro,mas eu não sabia nada,mas fui pra escola,estudei,estudo ate hoje,todo dia aprendemos coisas novas,e meus filhos tiraram de letra,meu filho mais novo se graduou na escola,foi pra Carolina do Norte viver sozinho,trabalhar no exercito,meu filho mais velho estuda medicina,hoje e tudo maravilhoso pra nos,graças a Deus amo viver aqui,não consigo me ver voltando pro Brasil nunca,apenas saudades da família,mas isso a gente da um jeito,os primeiros meses e o primeiro ano foi duro,depressão e tal,sem amigos,a falta da língua,de tudo,dizem que e normal,mas se você consegue ficar pelo menos dois anos,você fica pra vida toda,e meu caso,graças a Deus,me sinto como se tivesse vivido aqui toda minha vida,e aconselho tb,quem tem um sonho de viver aqui,ou desejo,corra atras,mas como disse a Lu,faca pelos meios legais,ainda que demore,seja mais difícil,.mas compensa,porque trabalho num lugar onde tem muitos imigrantes ilegais,e eles sofrem,medo de dirigir,medo da policia,medo de tudo,boa sorte a todos

  2. Obrigada mais uma vez pela participação, Rita.

  3. Bom dia Lu,
    Sou casada e tenho um filho de 2 anos, tenho amigos que moram nos EUA, e pretendo começar o processo de imigração, gostaria muito de arrumar um emprego aí para começar, mas não sei por onde começar, falo inglês, morei em Singapura antes de me casar aqui no Brasil, mas para ir pros EUA nao sei como nem por onde começar para conseguir o visto

  4. Olá Amanda, primeiramente voce precisa tirar um visto que permita que voce trabalhe e more aqui, ou seja, um visto que te de chances de obter o green card, esses tipos de vistos estao listados nesse outro post: Vistos certos para o green card

    Esse é o passo essencial, entao pesquise sobre esses vistos, veja em qual deles voce se encaixa e tente tirá-lo. Agora, voce pode tentar um emprego do Brasil, claro que pode, desde que voce tente uma vaga (de preferencia numa area profissional com alta demanda aqui, tipo TI, exatas etc) para a qual voce tenha todos os requisitos,habilidades e experiencia para back it up, nao custa nada tentar. Voce pode acabara encontrando uma empresa que queira patrocinar o visto de trabalho para voce.

    Algmas empresas que fazem isso aqui: H1b Jobs Veja se algumas delas tem vagas na sua area e tente. Sucesso!

  5. Oi Lu! Nossa, voce disse tudo nesse post! Eu sempre tive vontade de viajar pra outros paises. Essa vontade comecou, na verdade, quando eu comecei a estudar ingles no yazigi – eles tinham varios programas de intercambio, mas eu nao tinha $$$ pra eles. O tempo passou, terminei o curso de ingles e fui pra faculdade. Quando tava terminando meu curso de veterinaria, surgiu a oportunidade de me candidatar pra um intercambio em alguns paises. Podia escolher varios, entre eles EUA – mas eu resolvi nao vir pros EUA porque certamente eles iriam me mandar pra uma fazenda no meio do Texas ou Kansas…haha
    Entao escolhi Dinamarca. Fui pra la e fiquei 2 anos trabalhando e viajando nas horas vagas. Conheci varios paises e cidades na Europa. Quando voltei pro Brasil, resolvi entrar num desses sites de bate-papo pra continuar praticando o Ingles. Antes de viajar pra Dinamarca eu usava esse mesmo site pra treinar, porque morria de medo de nao conseguir me comunicar com o ingles que aprendi no cursingo. Ate que um belo dia recebi uma mensagem em Portugues de um brasileiro-americano. Comecamos a conversar, ficamos amigos, mais que amigos… Vim pros EUA algumas vezes pra visita-lo durante as minhas ferias pq ele fazia residencia e nao tinha mto tempo de folga pra ir pro Brasil. Na ultima dessas visitas, quando era pra eu ir embora ele me pediu em casamento. Nos casamos nos EUA no civil e aplicamos pro green card. O mais engracado disso tudo e que quando vim pros EUA fui morar justamente no Texas! hahaha Quando e pra ser nao adianta fugir ne?! Beijao pra voce!!’

  6. Obrigada por partilhar sua história conosco, Stephanie. Pois é, se é para acontecer, acontece mesmo rsrs . Passe por aqui sempre! Beijos.

Leave a Reply

Faça parte da conversa: