Como É Morar Nos Subúrbios De Chicago?

morar nos subúrbios de Chicago
por yooperann via flickr

A nossa série de posts sobre a vida em cidades americanas continua, já falamos sobre o cotidiano no centro de Chicago, em San Diego e na região de Dallas-Fort Worth no Texas, hoje veremos mais sobre a vida nos subúrbios de Chicago.

Alguns podem até estar pensando: ‘Chicago, de novo!’ Mas não se engane, há uma diferença enorme no estilo de vida dos subúrbios e dos centros das grandes cidades americanas.

A conversa de hoje é com a Aline Teodoro Morales e ela vai nos oferecer insights sobre a vida nos subúrbios dessa cidade.

 

Viver nos EUA: Há quanto tempo você vive nos Estados Unidos e em que parte do Brasil você morava antes de vir para cá?

Aline T. Morales: Moro em Chicago há quase 20 meses. Vim para cá em 1º  de abril de 2013 ( não é mentira rs). Vim para trabalhar como au pair e aprender o inglês. No começo foi muita mímica pra se comunicar, entendia, mas meu speaking era péssimo!!!

Cuidei de 4 criancas (Sim, loucura). Eu sou do estado de São Paulo, morava em São Sebastião, no litoral Norte. Amo minha cidade, ver o mar, andar de bicicleta, tomar uma cervejinha com os amigos.

V.N.E.: Como está sendo sua adaptação, tendo em mente as diferenças entre a cidade brasileira na qual você morava e sua vida aqui?

A.T.M.: No começo foi bem difícil e não nego continua sendo toda vez que chega o inverno.Ano passado foi um dos piores, nevou praticamente 4 meses e enquanto isso os `amigos` no Brasil e a família toda na praia, na piscina.Não me acostumei com o frio e nem pretendo rs. Se pudesse iria pro Brasil assim que chegasse o inverno aqui.

V.N.E.: O que você mais curte  e o que você menos gosta nos subúrbios de Chicago?

A.T.M.: Continuo em Chicago, pois conheci meu marido, no meu segundo mês aqui. Fui comemorar o aniversário de uma conhecida e acabei conhecendo ele.

E aconteceu que meus planos de ficar 1 ano e ir embora, failed . Ele me ajudou desde o começo, os três primeiros meses foram bem engraçados pois eu não deixava ele me ligar, conversávamos só por mensagens rs, Acabei me mudando pra cá em Julho de 2014.

Continuo trabalhando de babysitter, aqui é bem sossegado. Moro perto da estação de trem, 1 hora até Chicago.

No verão é mais fácil ter algo pra fazer, caiaque, golf, caminhadas. Sinto falta de andar de bicicleta, já que aqui pra ir no mercado ou na livraria você vai precisar ir de carro.

Às vezes quando vou pra Chicago alugo bicicleta, uma loucura!!! Mas é  uma delícia, andar beirando o lago (mas pensando na praia).

V.N.E.: O que mais te surpreendeu nessa cidade assim que você chegou aí?

A.T.M.: Quando vim, morei em Naperville, 1 hora daqui. E perguntei pra família como eu pegava o ônibus. Capaz que uma mãe de 4 crianças nos EUA, em bairro rico, iria me falar como pegar o ônibus.

Pois bem fui na garagem e peguei a bicicleta rs. Atá a biblioteca aberta sete dias da semana me surpreende. E quantos brasileiros vivem por aqui.

V.N.E.: Como você descreveria sua a vida nessa cidade?

A.T.M.: Posso dizer que tenho minha vida de casada, da qual eu gosto bastante. Faço a comidinha brasileira, pelo menos umas três vezes na semana. Vou na academia, trabalho, bem relax ( mas ainda falta a praia). Bem dependente.

 

V.N.E.: Quais atrações turísticas de Chicago você já visitou e quais delas você ainda não visitou e por que?

A.T.M.: Chicago é linda, eu adoro. Já fui no Navy Pier algumas (várias) vezes, no Shedd Aquarium (adorei quando vi um pedacinho do nosso Brasil / Amazonas lá).

O Skydeck foi meu primeiro lugar, 360 Chicago, já fiz passeio (tour) pelo lago de Michigan por dentro da cidade, foi a respeito da Arquitetura local.

Já fiz outro passeio de barco saindo do Navy Pier até o canal, assisti o Chicago Bears (no Soldier Stadium).

Amei e me impressionou as torcidas juntas sem confusão! O que ainda não fiz foi ir na `praia` de Chicago no verão. Assim que eles falam, anyway…

Falta eu `pegar` um sol no Lake Michigan e por mais que o basketball não seja meu favorito, quero assistir o Chicago Bulls.

 

V.N.E.: Quando seus amigos e familiares brasileiros te visitam  onde você os levaria (algo imperdível para fazer aí) e onde você jamais os levaria (algo que é uma perda de tempo ou uma tourist trap)?

A.T.M.: Esse tempo que estou aqui, ninguém veio me visitar 🙁 Mas minha família tem sim planos de vir em breve. Levaria em todos os lugares que já conheci. Mas tenho certeza que minha mãe nao iria querer ver o futebol americano! 

V.N.E.: O que você faz na sua cidade nos fins de semana para relaxar?

A.T.M.: Costumo ir nos parques perto de casa pra caminhar, já vi veados duas vezes!! 🙂

No frio dá mais preguiça é claro. Também gosto de ir ao cinema e de chamar algumas amigas brasileiras pro churrasquinho em casa.

V.N.E.: Há um perfil “típico” de pessoas que vivem nos subúrbios de Chicago? Seja em personalidade, idade, nível educacional, aspirações ou qualquer outra coisa que você possa ter notado ao morar aí?

A.T.M.: Aqui tem de tudo um pouco, muitas pessoas trabalham em Chicago, muitos trabalham dentro de casa.

Vejo mais familias por aqui, trabalhei primeiro com familia americana, hoje trabalho com Indianos. Vejo que eles  são bem focados na educação das crianças. Com várias atividades extras, estudos, e esportes.

V.N.E.: Você trocaria sua vida onde mora ou já pensou em se mudar para outracidade dos EUA ? Por quê?

A.T.M.:  Penso toda hora Lol, pode perguntar pro meu marido rs. Quando ele me pediu em namoro, já disse, eu quero morar perto da praia rs.

Hoje em dia já pego um pouco mais leve, falo que quero morar longe da neve, não precisa ser necessariamente na praia. Sinto muita falta de ver o mar.

V.N.E.: Você já morou em outra parte/cidade dos EUA? Como você compararia ela a Chicago?

A.T.M.: Só em Chicago (por enquanto). Já visitei outros estados, passei quatro dias em New York, e digo que não trocaria por Chicago.

V.N.E.: Você tem algum conselho que gostaria de dar para aqueles que desejam morar nessa cidade?

A.T.M.: Para quem gosta de cidade grande, aqui é ótimo. Chicago é aqui do lado, trem é super fácil e tem toda hora. Temos restaurantes brasileiros aqui tambem.

Termina aqui a entrevista. Obrigada Aline pelas dicas e pela cortesia das imagens.

Se você já morou, mora ou quer morar ou ainda gostaria de falar mais sobre os subúrbios de Chicago, deixe seu comentário abaixo.

Fiquem ligados no blog pois haverá mais entrevistas com brasileiros que vivem em outras cidades americanas.

 Quer saber mais sobre os EUA e a língua inglesa? Veja os ebooks da Lu.

Gostou do post? Compartilhe com seus amigos!

More about Lu

Brasileira casada com americano. Moro nos EUA há mais de uma década.

13 thoughts on “Como É Morar Nos Subúrbios De Chicago?

  1. italo cabral

    parabens lu mais uma vez otimo post, quero MUUUITO morar em Chicago essa cidade é linda (apesar de ser muito fria) mais tem muita opção de lazer, e o que mais me surpreende em Chicago é o fato de a cidade ter sofrido um grande incendio e ter sido quase toda destruida e hoje ser umas das cidades americanas mais bonitas.

  2. Lu

    Obrigada pelo comentário Italo. Concordo contigo. Uma cidade que, infelizmente, nem registra na cabeça de muitos turistas brasileiros rsrs

  3. Suzanne

    É bom saber que Chicago tem clima super úmido, é a “Florida do Norte”, fria e úmida no inverno, uma sauna no verão. Quem tem renite então “morre” em Chicago! Eu particularmente, jamais moraria em Chicago (ou em qualquer lugar no Midwest). Essas entrevistas precisam dar uma pincelada também nos pontos negativos e não ficar mostrando todos os lugares como se fossem perfeitos. Cada um é cada um e falar um pouco sobre os pontos fracos de cada local ajuda a pessoa que quer imigrar a tomar uma decisão.

  4. Lu

    Olá Suzanne,

    Muitas das entrevistas tocaram em pontos negativos, alguns dos entrevistados adorariam morar em outras partes dos EUA. Muitos deles confirmaram o fato de que a vida de imigrante aqui não é fácil- não é mesmo. Nenhuma das entrevistas afirma que os EUA é um país perfeito. Ademais, entrevistei pessoas em diferentes fases da vida aqui e a perspectiva do lugar muda com o passar do tempo. Minhas opiniões mudaram e continuam mudando e o mesmo pode ser dito dos entrevistados que vão morar aqui pela vida toda. As entrevistas são um exemplo do que eles passam agora na vida deles ao se adaptar aqui, alguns estão só de passagem (com vistos temporários). Mas você mora (ou morava) aqui, então que tal participar da série de entrevistas e nos contar o lado bom e ruim de Washington?

  5. Lu

    O Victor Fioreze, que falou sobre a vida em Austin, comentou que quando a primavera chega lá, os problemas respiratórios dele atacam. Acho que para quem passa por isso a primavera em todo país é um pé você sabe onde.

  6. Emilia Oliveira

    Estou me mudando pra Chicago com meu marido e duas crianças! Moramos em Boston, estou aqui há 15 anos e estou um pouco insegura com a mudança! Estou querendo encontrar brasileiros em Chicago para não ficar tão longe das minhas raízes rsrsr essa entrevista me trouxe um pouco de conforto! Fico feliz que estou indo para um lugar onde brasileiros estão vivendo também!

  7. Lu

    Muito obrigada pela participação, Emilia. Sucesso para você em Chicago!

  8. Alex

    Da pra imaginar mesmo que tenha sido muito difícil pra você.
    Durante todo o texto você faz menção ao Brasil (praia), acho que quando saimos de uma cidade esperando encontrar algo semelhante se torna mais difícil o processo mesmo. Acho que a pessoa que quer sair do país tem que ter em mente que não é seu país, outra cultura, outras belezas, outra forma de se relacionar, outro clima e assim fica mais facil de aceitar o novo, sem estar tão apegado ao que deixou e assim diminuir tempo de adaptação

  9. Erika

    Gostaria de falar sobre o consulado Brasileiro em Chicago!Atendimento terrível!!!!!!!!
    extremamente mal educados……….

  10. Lu

    O que houve, Erika?

  11. renata rivitti

    Olá! Adorei esta página! Estou prestes a me mudar para chicago com filhos (8 e 11 anos), por um ano, em 2016, para mestrado em Loyola. Pelas pesquisas que fiz, por ora estou considerando morar no bairro de Edgewater, no qual há pelo menos 4 escolas Elementary, públicas, e estou em dúvida entre 3: Swift, Hyatt, Helen Peirce e outras. Gostaria muito de mais ifnormações sobre cada uma , e obter contato de algum brasileiro que more na região. ALGUMA DICA??? Obrigada!!!! Renata

  12. Janete Silva Teixeira

    Fiquei um mês em Chicago. Amei de paixão. E olha que moro no litoral de SÃO PAULO, de frente pro mar. Mas fui no outono e não peguei o pior do inverno. Mesmo assim, passei frio. Me impressionou a limpeza da cidade. Fiquei num apartamento no Rogers Park, usava a Red Line, de Morse até Monroe, onde estudava. À tarde aproveitávamos para conhecer Chicago, teatros, museus, zoo, tudo maravilhosamente bem cuidado. Transporte simples, mas que funciona. Povo educado, embora tenha achado as condutoras dos ônibus MUUUITO grosseiras e faziam até questão de não parar no ponto que pedíamos, mesmo quando eu levava o nome da rua escrito em um aviso enorme (e ainda riam). Mas gente assim tem no mundo todo, inclusive aqui no Brasil. É o melhor lugar que já conheci, em termos de estrutura.
    Chicago é acolhedora, das cidades vizinhas, a que mais gostei foi Evanston, com muitas universidades, população jovem, muitos brasileiros. Um sonho. Sem falar nos esquilinhos que andam livremente pelas praças, tanto nos bairros mais afastados de Chicago como em Evanston. Se eu moraria lá? Sim. Mas preferiria ter as condições de lá, tanto culturais como estruturais, aplicadas aqui. Mas, isso seria o paraíso…

  13. Meury Monteiro

    Olá,

    Atualmente estou em OaK Brok subúrbio de Chicago exatamente a 1h de trem e inicialmente vamos ficar aqui por 2 meses. Confesso que esta sendo muito difícil a locomoção ate ao centro pois estamos a mais de 2km do trem e não passa onibus perto também. Os gasto com Uber sao bastante frquente.Com isso, se torna ainda mais caro visitar Chicago pois a passagem também se torna mais cara.. Tudo aqui só se faz de carro por conta da distancia e claro, o frio também.

    No entanto, fora isso rsrsrs, esta sendo uma oportunidade para nos, pois meu marido esta alocado em um grande cliente cuja a sede fica neste subúrbio. Topamos vir para essa nova experiencia pessoal e profissional e claro

Faça parte da conversa: