Curiosidades, Para Estudantes

Entrevista: Como Aprender Inglês Sozinho?

A entrevista de hoje nos foi concedida pelo Renato Alves, ele é estudante de inglês auto-didata há mais de 7 anos, lecionou aulas particulares de inglês por dois anos. Ele também é o fundador do Blog Inglês na Rede, produz os podcasts do EnglishCast e é editor-chefe da Revista Inglês Brasil. Veja as dicas dele para aprender inglês dessa forma:

Saber inglês é necessário para quem acalenta o sonho de um dia morar nos Estados Unidos (se você ainda tem dúvidas, pode ler o artigo entitulado por que é difícil morar nos EUA sem falar inglês?) e uma das perguntas mais comuns sobre o assunto, além de como estudar o idioma aqui e como distinguir qual a melhor escola de inglês, costuma ser a possibilidade de estudar o idioma sozinho.

Por esse motivo entrevistei o Renato Alves, ele aprendeu inglês por conta própria e vai dar dicas de como você pode fazer o mesmo abaixo.

Viver Nos EUA: É possível aprender inglês no Brasil? Como você fez isso?

Renato Alves: Sim, eu acredito que é possível aprender inglês no Brasil. É claro que temos poucas oportunidades de praticar nosso inglês diariamente com pessoas nativas, mas as oportunidades e acesso a informações e conteúdo em inglês é muito grande.

Para mim, a internet foi e continua sendo uma ferramenta importantíssima. Quando comecei a estudar inglês por conta própria, ela me ajudou em pesquisas por artigos e informações sobre a língua inglesa de modo geral.

Na internet conseguia baixar livros, podcasts e atividades em inglês, além de tirar minhas dúvidas com outros professores de inglês e conhecer outros estudantes que estavam na mesma situação que eu. Tudo isso ajudou no meu aprendizado.

Mas existe três coisas que de fato me ajudou e continua me ajudando a cada dia a melhorar meu inglês, elas são: força de vontade, foco e paciência.

Esses três pontos são muito importantes, pois precisamos de força de vontade para estudar inglês diariamente. O foco também é essencial para não relaxar e sair da linha e a paciência é importante por que aprender um idioma não acontece da noite para o dia, então precisamos acreditar que estamos no caminho certo e estudar, torcendo que os resultados venham no futuro.

Graças a Deus, seguindo esses três passos, venho conseguindo cada vez mais melhorar meu inglês.

VNE: Seu perfil diz que você é autodidata, que recursos você usou para  aprender inglês por conta própria?

Renato: Nos primeiros dois anos de estudo, eu utilizava muito livros de gramática, vocabulário e livros de inglês do ensino médido. Também tinha o costume de pegar livros de inglês na Biblioteca Municipal da cidade que morava, São José da Coroa Grande-PE.

Para praticar o que aprendia, pegava as músicas que gostava e tentava traduzir a letra para o português. Isso me forçava a entender e a tentar traduzir da melhor forma possível. Só depois de tentar traduzir a letra é que verifica com a tradução oficial para ver o que tinha acertado e onde tinha errado.

Nos meus primeiros dois anos de estudo, minha rotina basicamente era essa… Depois que conheci a internet, comecei a escutar podcasts, ler artigos de jornais, ler artigos de inglês de outros blogueiros/professores, além de começar meu próprio blog de inglês.

VNE: Para quem você indicaria esses mesmos tipos de recursos e tipo de aprendizado?

Renato: Eu tenho uma opinião que dependendo do que a pessoa quer antingir , ela deve usar uma forma específica para aprender inglês. Desde o início, eu sempre quis aprender tudo em inglês, não apenas o básico para falar algumas frases.

Então, para quem deseja se aprofundar na língua inglesa, não apenas aprender algumas frases para desenrolar, acredito que a forma como estudei pode ser útil.

Um dos motivos por que digo isso está principalmente relacionado a meu grande interesse pela gramática da língua inglesa. Eu não considero ela chata, pelo contrário, acho extremamente importante aprender a gramática em sua plenitude, seja em inglês ou em português.

Porém, para uma pessoa que pretende apenas passar alguns dias nos Estados Unidos para um evento, estudar e etc, a gramática não vai ajudar muito.

VNE: Quais os erros mais comuns cometidos por quem quer aprender inglês sozinho?

Renato: Os que percebo serem mais comuns são:

  • Querer aprender rápido demais;
  • Não ter organização nos seus estudos (o que estudar, quando, onde, etc);
  • Não ter disciplina (cumprir os horários de estudo religiosamente);
  • Não ter foco (começar estudando algo e acaba estudando outra coisa);

Eu costumo até brincar sobre o primeiro motivo, se existisse uma pílula para aprender inglês, essa pílula estaria em falta no mercado. Infelizmente não são todas as pessoas que entendem que aprender um idioma leva certo tempo e que exige um pouco de esforço.

Talvez seja um problema do brasileiro ou do ser humano, mas sempre procuramos a rota mais fácil, a maneira mais rápida. O interessante é que aprender inglês é rápido, são poucos os idiomas que permitem ficar fluente com poucos meses de estudo como o inglês.

Mas tentar cortar caminho aqui não vai ajudar o estudante de inglês… Se a pessoa for organizada, ter disciplina e foco no que realmente deseja, ela conseguirá muito mais rápido.

VNE: Qual a parte mais difícil e a mais fácil do processo de aprender  inglês dessa maneira na sua opinião?

Renato: Acredito que parte mais difícil é não ter alguém para lhe certificar de que realmente você não está falando besteira. No começo, isso é muito ruim. Já quando estudamos em uma escola de idiomas, por exemplo, temos o professor para nos dizer se está errado ou certo, sozinho não… é você e a sorte.

A parte mais fácil está na flexibilidade no que você pode aprender, em como estudar e etc. Posso estar errado, mas seguir o padrão que as escolas de idiomas nos colocam deve ser muito chato, sem falar que muito caro.

Estudar sozinho permite com que você avance os estudos de forma mais rápida, principalmente se estiver motivado e conseguir absorver os conteúdos de forma rápida.

VNE: Você já fez algum teste de proficiência em inglês? Qual? Como foi  sua experiência ao fazê-lo?

Renato: Ainda não… No ano de 2013, até que me preparei para o FCE (First Certificate in English da Cambridge University), mas como mudei de estado adiei a realização dos testes. Estou com planos de tentar pela primeira vez o FCE em 2015. Wish me luck! 😀

VNE:  Quanto tempo demorou até você ficar fluente dessa maneira? Se você  usou outros métodos tradicionais, favor listar quais.

Renato: É bom mencionar que até hoje ainda não me sinto fluente… A falta de prática diária com uma pessoa que fala também é muito ruim para manter um idioma ativo e “fluente”.

Porém, eu senti que falava com certa naturalidade depois de uns 3 anos de estudo. Antes disso eu não falava com segurança e sempre achava que o que falava estava errado, sem dizer que meu sotaque de nordestino destuía meu inglês.

Uma forma que me ajudou muito a melhorar meu speaking foi exatamente escutar muita música e podcasts em inglês. Escutar em inglês é muito importante para falar bem, pois acabamos aprendendo vários sotaques, palavras que tem o mesmo significado mas com sons diferentes dependendo da região ou país da pessoa.

Também eu tinha, e ainda tenho, o costume de conversar comigo mesmo em inglês. Atualmente eu elevei esse nível e até para pensar nas coisas comuns do dia a dia em inglês. Mas falar em inglês sozinho, criando uma cena, explicando seu dia, é muito útil para praticar o speaking. Se você tem algum amigo próximo para práticar, bom, se não, falar sozinho vai ajudar muito a melhorar a forma como você falar em inglês.

VNE: Que dicas você daria para quem quer começar a aprender ou quem sabe melhorar o inglês dessa forma?

Renato: Acredito que o primeiro passo, antes de tudo, é decidir por que você quer aprender inglês e o alvo que você deseja atingir. Se você souber onde quer chegar, ficará muito fácil em atingir esse objetivo.

Todos precisamos de um norte e para aprender inglês não é diferente. Um ponto positivo quando sabemos onde queremos chegar com nosso inglês está em poder verificar se estamos “chegando lá”. Se você não sabe onde quer chegar, ficará navegando no oceano sem saber vai parar.

Outra dica está em organizar bem seus estudos. Ser organizado vai ajudar a ver teu desempenho no inglês e verificar onde está errando e onde precisará melhorar.

E por último, tenha muito foco e força de vontade. Ao contrário do que certas escolas de idiomas prometem, milagrosamente, aprender inglês leva um certo tempo e requer um certo esforço da sua parte. Por isso, se decidir em estudar inglês sozinho ou em uma escola, saiba que foco e força de vontade são essenciais.

Espero que as dicas possam clarear a sua mente e que possam te ajudar a aprender ou melhorar seu inglês! Boa sorte nos estudos! 😀

Sobre Renato Alves:
Renato é estudante de inglês auto-didata há mais de 7 anos,
lecionou aulas particulares de inglês por dois anos.
Ele também é o fundador do Blog Inglês na Rede, 
produz os podcasts do EnglishCast e é editor-chefe
da Revista Inglês Brasil.

Ficam aqui as dicas do Renato para aprender inglês sozinho. Você também aprendeu o idioma dessa forma e tem mais dicas ou dúvidas sobre o assunto? Deixe suas dicas e/ou dúvidas nos comentários abaixo.

Quer mais inglês? Veja as 101 dicas da Lu para aprender e melhorar seu inglês aqui.

Gostou do Post? Compartilhe Com Seus Amigos!

10 comentários sobre “Entrevista: Como Aprender Inglês Sozinho?

  1. Boas dicas! O foco é a determinação realmente fazem a diferença no aprendizado do inglês.

    Pena que notei alguns erros de português nessa matéria, os quais nunca notei em outros artigos desse blog. ;(

    Grande abraço
    Fã do blog

  2. Não tenho problema para falar, no entanto não consigo entender. Como melhorar meu listening???

  3. Querer aprender e disciplina. Você esta certo. Autodidata. Comigo esta forma não funciona, somente o presencial é capaz de passar grande parte do aprendizado. Foi assim, e ainda é. Tambem tive a mesma meta. Aprender tudo, principalmente a gramatica. Hoje, tenho o Inglês como minha primeira lingua. Leio somente de escritores da lingua Inglesa. Vejo tv apenas programação na lingua Inglesa. Jornais, somente na lingua Inglesa. E tento sempre viajar ao menos uma vez ao ano aos EUA para conhecer nativos Americanos.

  4. Olá Luiz Augusto,

    Obrigada pela participação. Sim, esse método não é para todos mas vejo que alguns podem se beneficiar ou começar seus estudos dessa forma. O melhor jeito de aprender é adaptar o aprendizado para o tipo de inteligências e métodos com os quais o aluno mais tem afinidade. E sim, gramática é importante mas conversação é mais ainda.

  5. Olá Rosa,

    A melhor maneira é pegar um áudio com um artigo (transcript) e ver se você acompanha o ritmo, você pode começar por partes/frases e e depois ouvir toda a coisa sem pausar e ver como sua percepção mudou, acredite vc entenderá mais. Esse tipo de excercício exige repetição, repita até você entender.

    Outra maneira é pegar exercícios com espaços em brancos para completar (blank) com áudio, pode ser uma música ou um artigo. Só comece aos poucos, um artigo pequeno ou música fácil de ouvir e entender. Não pege uma conversação complicada com diversas pessoas ou muito longa logo de cara ou uma música difícil de entender e/ou muito rápida. Com treino, você vai melhorar. O segredo é ver o ritmo e se você está entendendo onde cada palavra começa e termina e como elas soam juntas.

    Um website para fazer isso é o do NPR.org, eles possuem áudios de diversos assuntos (notícias, cultura, ciências e etc) e alguns deles possuem transcripts. Quanto aos exercícios de completar, você pode achá-los em diversos sites de ESL (English as a Second Language). Um deles é o EnglishClub.com. Eles tem exercícios para alunos e professores de inglês.

    Espero que as dicas te ajudem. Sucesso!

  6. O artigo ficou mesmo ótimo Lu! Muitíssimo obrigado pelo convite.

    Adorei em ter respondido a entrevista, é sempre bom compartilhar o que aprendemos com pessoas que estão passando pela mesma situação que já passamos no passado.

    Sucesso no Blog, que é ótimo por sinal e precisando de qualquer do Blog Inglês na Rede, estamos sempre a disposição. =)

  7. Estou aprendendo inglês sozinho e estou vendo resultados, porém é muito difícil manter o foco e separar o material para estudo. Acredito que com determinação todo mundo chega lá!

    Ótima matéria, gostei!

  8. Olá Bárbara. Obrigada pelo comentário. Verdade, disciplina e persistência é tudo. Sucesso!

Faça parte da conversa: