Curiosidades, Para imigrantes

Como É A Vida De Imigrante Nos EUA?

Travessia de balsa pel Golden Gate Bridge em San Fran

Muitos sonham em imigrar para os Estados Unidos e sim viver no exterior é uma experiência incomparável e inesquecível mas enquanto viver aqui é bom, nem tudo é um paraíso e há coisas a se considerar antes de mudar de vez.

Veja alguns motivos por que ser imigrante nos EUA é algo positivo e o lado negativo da coisa.

Antes de começarmos: Por imigrante quero dizer brasileiros com green card ou naturalizados. Se você tem visto de estudante você é international student e não imigrante, se você tem visto de trabalho você é temporary worker e não imigrante, se você tem visto de turismo você está a passeio.

 

Ser imigrante nos EUA é bom por que…

Você pode morar onde quiser (não depende da locação da empresa no caso do visto de trabalho), não está preso a uma empresa (como no visto de trabalho), ou seja, pode trabalhar onde quiser.

Você pode estudar onde quiser, você pode estudar e trabalhar  ao mesmo tempo (ao contrário do visto de estudante) e você pode se tornar cidadão.

Você tem uma visão diferente do mundo e pode contribuir a sociedade americana com isso. Abrir a cabeça de alguns dos seus amigos e claro que falar de suas origens é sempre um bom tópico de conversa em festas 😉

Além do mais você é bilíngue e isso quando não fala mais de dois idiomas, o que faz com que achar um emprego fique ainda mais fácil dependendo da região onde você mora.

Ser imigrante nos EUA é ruim por que…

Você paga mais por quase tudo. Quer estudar? Vai pagar mais do que um cidadão (pelo menos até você se tornar um).

Você não pode votar (até que se torne cidadão).

Você não tem credit history quando chega aqui e tem que começar sua vida financeira do zero.

Você não tem seguro de saúde e compra-los é um pé você sabe onde.

Você não tem histórico de trabalho aqui e embora algumas empresas fiquem interessadas no que você já fez no Brasil, outras não estão nem aí para isso e exigem experiência aqui.

Você tem que tirar vários documentos aqui. Vai se casar ou mudar de nome? Lá se vão mais formulários e mudanças de documentos. Isso sem falar em ter que renovar sua papelada regularmente (até que você se torne cidadão).

Você tem que se adaptar a um clima diferente da sua região no Brasil. Acha que vai gostar de ver neve? Espere até ver o que a Bárbara (que sabe o que é neve já que ela mora no Canadá e já viveu aqui também) e leitores que moram aqui comentaram nesse outro post ou quem sabe dê uma olhada na paisagem que a neve cria no inverno daqui. Bonitinha na teoria, na prática… nem tanto.

Você certamente terá que validar seus diplomas brasileiros, talvez tenha que estudar mais (ou seja, mais dinheiro do bolso – estudar nos EUA é caro) para conseguir trabalhar no mesmo ramo que trabalhava no Brasil e em certos casos sequer vale a pena trabalhar na mesma profissão, pois ela pode ter baixa remuneração por aqui.

Você tem que aprender a se virar em outro sistema, a se comportar em outra cultura e a entendê-la. Às vezes é fácil, outras nem tanto.

E por último você tem que explicar para seus amigos americanos que sua vida não é lá tão fácil quanto a deles (embora eles sempre achem isso) justamente por que você é imigrante e como eles costumam não saber muito sobre o assunto, sempre assumem que sua vida é moleza.

Já seus amigos de outras nacionalidades te entendem melhor pois eles já passaram ou passam por situações similares à sua 😉

Imagem: 
"Golden Gate Ferry" by Caroline Culler via Wikimedia Commons.

Quer saber mais sobre a vida nos EUA? Leia os ebooks da Lu

Gostou do Post? Compartilhe Com Seus Amigos!

19 comentários sobre “Como É A Vida De Imigrante Nos EUA?

  1. Muito bom artigo. Tem tambem as regras de transito, minha filha enquanto fazia uma pos em Tampa apos uma festinha e voltando tarde para casa, numa rua escura, no lugar de parar completamente so sinal de STOP deu aquela meia parada classica que se da no Rio por seguranca, obviamente apareceu um policial pra multar. Nao sei em todos os estados mas nos que morei eles aparecem do nada quando voce menos espera e nada de argumentar, questionar e muito menos tentar o jeitinho e “yes officer”, maos estendidas na barra de direcao bem visiveis. Nem sei se isso se enquadra no assunto do artigo mas, foi o que mais me incomodou aqui a principio, enquanto imigrante, atualmente concordo plenamente.

  2. bom dia, é fácil, ou relativamente fácil encontrar emprego no EUA, saindo do Brasil sem nada em vista?

  3. Ola Cintia,

    Vai depender de muitos fatores, tais quais, se a pessoa fala ingles e espanhol, a taxa de desemprego na regiao na qual ela quer morar, o nivel educacional da pessoa e etc.

  4. Ola Neusa,

    E normal isso. Policiais aqui sao experts em camuflagem e sim tem que ser ” yes sir” pra ca e ” yes sir” pra la. Mas conheco casos onde o imigrante tinha a bandeira do Brasil (ou de outro pais como muitos imigrantes fazem aqui) no carro e era parado mais frequentemente, nao sei se isso influenciava…

  5. Muito bom post. Adoro acompanhar os post aprendo muito.
    Hoje estudo Inglês para poder morar nos Estados Unidos e Tenho grande vontade de ir realmente para NY ou San Diego. Curso Psicologia aqui no Brasil. Será que nessas localidades se tem alguma facilidade para encontrar empregos mesmo na área de RH (recursos humanos) ou devo considerar outras localidades?

  6. Ola Marcio,

    E provavel. Voce pode pesquisar isso no site salary.com e no site do bls.gov. Sucesso!

  7. quando cheguei aqui nao falava o ingles muito bem,e falava muito bem o espanhol,saindo do Wal Mart bem devagarinho,porque sempre tem alguem atravessando o caminho,tinha um carro de policia parado,digo parado,e fui,quando dei a volta no quarteirao,porque minha casa e perto,o carro de policia acionou a sirene,quase infartei,kkkk,falei ai Deus que fiz de errado,estava ouvindo musica e nao sabia se colocava a mao pra abaixar ou nao o som,o fato e que,ele desceu do carro e uma policial do outro,eu nao desliguei o carro,apenas parei,tremi toda,ele comecou a esmurrar o caqrro atras e gritar ,ai eu quase me mijei,ela veio e falou pra eu desligar o som e o carro,ele continuou gritando,dai eu falei pra ela:olha,eu nao falo ingles muito bem,falei em espanhol,ela falou com ele,foi super educada,dai ele parou,entao dei meus documentos,olharam e mandaram eu ir,nao sei ate hoje o que fiz de errado,kkkk,tambem concordo com a opiniao de outra leitora,aqui eu fazia como no Brasi,so dava uma paradinha no sinal de pare e seguia,meu marido um dia brigou comigo,pare e pare mesmo,seguindo as regras da tudo certo,gracas a Deus policia so me parou aqui,porque meu filho e do exercito e eles me param pra perguntar como ele esta,ja que vive na Georgia agora,mas amo a cidade que moro no Novo Mexico,o resto,falo de carteirinha,voce pode ser classe media,ou rica,ou sei la o que,o fato e que,todo mundo que vem pra ca tem uma certa depressao,e tudo diferente,e me falaram,e verdade,se passa os dois primeiros anos,vive a vida toda,estou aqui a 5,e tenho aqui como meu Pais tambem.adoro, mais uma coisa,sobre credito,eu mesma fui numa loja,me deram um cartao da loja,como eu nao trabalhava,gastava pouca coisa,pagava certinho,um dia fui no banco abri uma conta,colocava algum dinheiro,usava bem pouco,depois me mandaram um cartao de credito,dai usava tb,e pagava,se possivel antes do prazo de vencer,e um dia pedi um emprestimo,me deram,assim fui construindo meu credito.

  8. Adorei este blog, todos os posts que eu li até agora são 100% uteis para quem quer se mudar para o EUA, como é o meu caso.

    Eu tenho uma dúvida sobre a nacionalidade, e como ainda não encontrei um post que fale exatamente disto quero me desculpar antecipadamente se a minha pergunta já estiver respondida por ai…

    A irmã da minha namorada se tornou cidadã americana a algum tempo, ela mora em NJ, para minha namorada se tornar cidadã ainda faltam 3 anos. Se eu me casar com ela agora, eu também poderei ter cidadania (usando ela como base)? Ou isso só aconteceria se eu me casasse com ela já sendo cidadã Americana?

    Obrigado

  9. Ola Leandro,

    Primeiramente obrigada pelo comentario. Deixa eu entender melhor, ha quanto tempo exatamente a irma dela ja e cidada? Ela ja abriu o processo do green card para sua namorada? Ha quanto tempo atras? Sua namorada ja tem o green card ou nao?

  10. Gostaria e saber se judeus tem maior facilidade em obter o visto americano em vista da grande influencia da comunidade judaica nos eua? e tbm se existe muito anti-semtismo?

  11. Olá Issaac. Não sei mas acho que deva ser a mesma coisa. Tenha em vista que nos últimos anos tem sido mais fácil para brasileiros conseguirem visto de turismo para cá. Anti-semitismo é que nem racismo tem sempre algum lugar ou alguém que tem mas não sei de áreas específicas onde isso aconteça. Já notei porém que há mais judeus em grandes regiões metrolitanas versus judeus em cidadezinhas no fim do mundo. Geralmente quanto maior a cidade e maior a diversidade da população e maior, melhor é para se viver em relação a qualquer tipo de preconceito mas infelizmente nada é garantido em lugar algum.

  12. Otimo blog! Eu estou nos EUA desde marco de 1965 e naturalmente tive que aprender o ingles – alem de se adaptar a um sistema completamente diferente da regiao Sul do Rio Grande do Sul. Mesmo com varios anos de ingles no Brasil eu nao entendi NADA no primeiro culto na igreja alem do ‘Amen’ e mesmo isto teve um ‘sotaque’ estranho. Mas hoje o ingles eh a lingua mais facil e certas palavras no portugues tem som ‘estranho’. Se adaptar nos EUA leva tempo – aprender o ingles tambem leva tempo. A cultura eh totalmente diferente – nao existe este ‘jeitinho’ do brasileiro. A gente deve cumprir as leis do pais – no excuses! WELCOME TO THE USA!!!
    thank you,
    Bruno Ekk

  13. Hello Issaac! A comunidade judaica tem influencia nos EUA – sem duvida alguma. Temos +/- 5 milhoes judeus-americanos e atualmente temos 11 judeus no senado dos US: Carl Levin (D-MI), Barbara Boxer (D-CA), Diane Feinstein (D-CA), Ron Widen (D-OR), Charles Shumer (D-NY), Benjamin Cardin (D-MD), Bernard Sanders (I-VT), Michael Bennet (D-CO), Al Franken (D-MN), Richard Blumenthal (D-CT), Brian Schatz (D-HI) —- 11 de 100 senadores (cada estado tem 2 e um 1/3 do senado eh eleito cada ano par – um ‘term’ eh para 6 anos) — alem disso temos 21 dos 435 membros do Congresso (‘deputados federais) de descendencia judaica. Alem disso um grande numero de doutores em quase qualquer hospital em todo o pais, advogados e outros profissionais sao judeus. O nivel ‘intellectual’ da communidate judaica a acima da media. Uma grande parte de NY e de West-LA (Fairfax District) a influencia eh maior ainda. Existe anti-semitismo sem duvida – mas a maioria dos americanos mantem o ‘live and let live attitude’. Basta dizer a influencia arabe tambem eh ‘significativa’ como por exemplo em Michigan e certamente em quase todas as universidades. Thank you,
    Bruno Ekk

  14. Olá. Meu nome é Carol e, nos próximos meses, eu e minha família estaremos imigrando para outro país. Só que, no nosso caso, iremos para a França. Estou em busca de experiências similares e acabei encontrando seu blog. Assim como você, decidir compartilhar informações e um pouco da nossa saga, criando o blog Repartir à Zéro (www.repartirazerobrasil.blogspot.com). Quero convidá-lo a conhecer e espero que possamos trocar algumas idéias. Obrigada!

  15. ola, meu nome é Adriano, moro no interior de SP e pretendo emigrar p USA com minha esposa e filho através do programa EB-5 e estou optando pelo estado da Florida, hj a cidade q moro custa muito caro p morar com o minimo de segurança, educação, saúde, ter um carro bom. Gostaria da sua opinião sobre a diferença p o estado da florida em uma cidade ao redor de Orlando ou Miami ?

  16. Olá Adriano,

    Primeiramente parabéns. Muita gente daria um braço e uma perna para estar no seu lugar rsrs Você pediu minha opinião, bem, sou uma das poucas brasileiras que não curte a região de Miami, até listei em outro artigo do blog os porquês disso. Visito a área o suficiente para saber que não gostaria de viver lá. Agora, visitei Orlando brevemente. Então não tenho como comparar a fundo. Há vantagens e desvantagens em ambos lados mas sua perspectiva pode diferir da minha nesse sentido, o que acho ruim de Miami pode ser tolerável ou bom na sua opinião e vice-versa. É tudo muito subjetivo. Quanto a custo de vida, o lado objetivo, você pode comparar cidades dessas duas áreas e até com sua cidade no Brasil nesse website.. Sucesso!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *