Para imigrantes

A Realidade De Trabalhar Nos EUA

Muitos sonham em ter uma vida nos Estados Unidos e isso quer dizer que trabalhar aqui também faz parte dos sonhos deles.

Só que o detalhe que alguns se esquecem é que trabalhar nos EUA é um pouquinho (para alguns bastante) diferente de fazer o mesmo no Brasil.

Vamos esclarecer agumas dessas diferenças abaixo:

“Posso ir de qualquer jeito e trabalhar”

 

Não. Você precisa ter um visto que te dê direito a trabalhar, ou seja, que te dê a autorização de trabalho ou o green card.

As coisas não são mais como antes de 2001, quando qualquer um vinha para cá e fazia praticamente o que queria.

Então se você quer trabalhar aqui, tem que ter um visto que te dê o direito de obter a autorização de trabalho e futuramente pedir o green card.

“Vou ganhar uma absurdo em dinheiro”

Depende. Uma por que a expectativa de salário é maior nos Estados Unidos e isso inclusive é um dos principais fatores que impulsionam muitos a tentar uma vida por aqui.

Você pode ter a expectativa de fazer 35 dólares por hora se preencher tal vaga assim que chegar aqui mas a realidade é que o seu salário vai depender da sua formação acadêmica e do seu tempo de experiência em cargos daquele tipo.

Então se você está começando do zero não espere ganhar o mesmo que outro empregado com anos de experiência ou conseguir aquela vaga de gerente logo de cara.

Em muitos casos você tem que começar de baixo. Inclusive algumas empresas tem a política de que todos empregados tem que ter um conhecimento de todas as áreas, ou seja, todos os tipos de serviços antes de subir ao topo.

A não ser que você possua um currículo invejável com experiência para comprovar ou back it up, como eles dizem por aqui.

“Vou trabalhar pouco e ganhar muuuuito dólar”

Não é bem assim, americanos trabalham pra caramba. Eles trabalham (40 por semana – alguns americanos trabalham bem mais que isso – alguns deles até mais que japoneses) e dependendo do status civil, cargo e etc, eles terão que colocar bem mais horas no “clock” do que desejariam.

E que dependendo do serviço, pagamento e de onde você mora somente 40 horas semanais não é suficiente para cobrir o aluguel.

Ainda sobre o salário:

Recentemente o presidente subiu o salário mínimo para os empregados do governo, o que é excelente para quem trabalha no governo mas e os demais?

Isso ainda fica à discrição da empresa, e como você pode ver nessas tabelas de salário nem os estados americanos possuem um consenso no que deve ser o salário mínimo.

E sim, para trabalhar para o governo você tem que ter no mínimo o green card e para alguns cargos é preciso ter a a cidadania americana.

“Vou ter uma ou duas horas de almoço, siesta e etc”

Almoço nos EUA é de uma hora e em alguns casos só de meia hora. Dependendo do emprego e da época do ano, mal dá tempo de almoçar em certos dias.

“Vou ter tempo o suficiente para planejar minhas férias de 30 dias e relaxar”

Feriados nos EUA há aos montes (dos oficiais aos irrelevantes) qual a diferença em relação a trabalho então? É que você estará trabalhando na maioria deles – Se você tiver sorte (ou ter trabalhado para a empresa por muitos anos) conseguirá o Natal e dia de ação de graças de folga no mesmo ano.

Mas isso também dependerá de outros fatores, tal qual seu cargo, suas responsabilidades dentro da mesma, seu status civil e etc.

“Mal posso esperar para que eles emendem esse feriado”

Achar que ter mês de férias onde seu chefe ou seus colegas de trabalho  jamais ousarão te interromper não é como as coisas funcionam por aqui.

A não ser que você seja o dono da empresa, e ainda assim você terá seus empregados te pentelhando bem no meio das suas férias, você não vai conseguir tirar um mês de férias no seu primeiro ano de serviço com a empresa.

Você sequer vai conseguir duas semanas no primeiro ano (geralmente é uma semana no primeiro ano, depois de dois anos ou no segundo ano duas semanas de férias dependendo da empresa) – a não ser que você trabalhe para alguma empresa que tenha uma cultura empresarial excêntrica e magnânima que realmente coloque o empregado – e não os clientes – em primeiro lugar.

Ou que você seja um professor, eles sim conseguem um mês de férias todo ano, só que se levarmos em consideração que eles também tem reuniões e mais reuniões antes do começo e volta às aulas – não acho que um mês conta – ainda assim é o emprego que dá um mês de férias no papel.

“Só vou trabalhar no mesmo horário e nada de trabalhar nos fins de semana”

Isso também vai depender de muitos fatores, como por exemplo do tipo de emprego que você quer, alguns exigem que funcionários trabalhem nos fins de semana, e como nos EUA a prática de turnos múltiplos é comum e como você estará começando no serviço – pode se preparar que eles te darão o pior turno, pelo menos no começo.

Já em outras profissões os horários de trabalho mudam a toda semana e consistência não é fácil. Por isso é importante considerar tudo isso antes de assinar o contrato.

“Só o fato de estar na folha de pagamento de tal empresa me dá muitas regalias”

Somente para os empregados full time  e depois dos 90 dais de treinamento terem passado. Pessoas que trabalham part time e seasonal (temporary) não tem direitos como os empregados de tempo integral.

“Meu chefe vai deixar eu deitar e rolar no serviço”

Como americanos prezam muito lucro, você pode esperar que seu chefe vá pegar no seu pé diariamente. E eles podem praticamente te fazer de gato e sapato. Engolir sapos é uma prática na qual você irá tirar nota 10 depois de trabalhar aqui.

Depois de ter lido tudo isso você deve estar pensando nossa Lu que horror tudo isso. Mas não é bem assim, trabalhar nos EUA tem seus lados positivos, como a habilidade de prover para sua família decentemente, ter acesso a muitas coisas que não temos nem com um salário considerado razoável no Brasil, isso sem ter que se preocupar com alguém te assaltar em pleno dia e roubar o que você tem só por que você ganha um pouco mais do que a média.

Mas o que quero dizer com tudo que descrevi acima é que se você não tem garra, coragem e vontade de subir e/ou preguiça de trabalhar – os EUA é um dos piores lugares do planeta para você viver 😀

As coisas aqui são do jeito que são e como sempre falo pelo blog você tem que procurar entender a cultura (e isso vale para a cultura de trabalho deles também) e se adaptar ao jeito deles para ser bem sucedido.

Também quero morar nos EUA!

Gostou do Post? Compartilhe!

25 comentários sobre “A Realidade De Trabalhar Nos EUA

  1. Excelente post Lu, não é fácil trabalhar aí aguentamos mesmo muita coisa, muita bronca e humilhação só que isso tem em qualquer lugar.
    Mas vale muito a pena, a vida que podemos ter, podemos fazer muito mais coisas com o salário daí do que aqui no Brasil sem falar na qualidade de vida..

  2. MOREI 10 ANOS EM HOUSTON. UM DETALHE QUE ME CHAMOU A ATENÇAO E ME ASSUSTA, É QUE NO CASO VC SER TEMPORÁRIO OU NÃO, ELES PODEM TE MANDAR EMBORA SEM MAIS NEM MENOS, MESMO TENDO VC FEITOOU APÓS TER EFETUADO SEU TRABALHO DIREITO E BOM FUNCIONÁRIO. MUITOS BRASILEIROS QUE EU CONHEÇO SIMPLESMENTE FORAM DEMITIDOS SUMARIAMENTE SEM DIREITOS OU AVISO PRÉVIO OU EXPLICAÇÃO, COM UM VASO DE PLANTA NO LUGAR DA MESA DELES…

  3. Uma coisa a acrescentar Lu é que para tirar a autorização de trabalho vc tem que desembolsar $ 380 (paguei ano passado, não sei se aumentou)… E o fato de vc aplicar e pagar este valor não te garante que eles vão aceitar seu pedido… E se for negado, não devolvem os $380…

  4. Olá, meu nome é Raquel e moro no RJ. Já tem um tempo que acompanho seu blog e estou amando. Gosto do modo que vc transmite a verdade sobre as coisas que acontecem ai. Vc esta de Parabéns!
    Eu tenho uma dúvida que não tem muito a ver com esse post, mas no post que queria comentar já esta fechado para comentários, então vai aqui mesmo. Rs
    Acabei de ler um artigo que vc fala sobre os vistos que mais dão chances de conseguir o green card. Queria saber se ser servidor público ou empregado público, aqui no Brasil, facilita em conseguir esse visto? Li uma matéria,em um site, que contava a entrevista que de uma pessoa, que era servidora pública federal, e ela consegui o visto em menos de 5 minutos, era visto para turismo e foi mt rápido. Vc acha que ser servidora ou empregada pública facilita em alguma coisa?

    Parabéns de novo pelo blog e tudo de bom pra vc!

  5. No momento a única área aonde se consegue emprego aqui e a área medica, mas tem que obter a licença apos o devido treino para reconhecimento do diploma brasileiro, isso vale para toda a área, do medico com especializacao, ao técnico em farmácia. Para o resto a menos que você seja gênio em algo como computador. Sem chance. Agora se quiser encarar servir em bares, pequenos restaurantes, etc. praticamente pelas gorjetas e em lugares turísticos como as ilhas onde moro, ai pode ser.

  6. Olá Raquel,

    Obrigada por ler o blog e pelo comentário. São mais que um tipo de visto que dão direito ao green card. Porém o fato da pessoa ser servidora pública no Brasil não vai influenciar em nada na obtenção desses vistos. Bem, quanto a esse texto que você cita, não sei dos pormenores da história (qual o cargo exato dessa pessoa e os motivos para tirar o visto, etc) mas visto de turismo não é um dos que dá direito a pedir o green card. Inclusive, hoje em dia tirar o visto de turismo ficou bem mais fácil e rápido.

    O que facilita da pessoa tirar o visto é ela ter laços fortes com o Brasil e ter tudo que o consulado pede que ela tenha para tirar o visto além de ter a ficha limpa e dinheiro para bancar o processo. O problema aqui é que muita gente pede vistos para os quais eles não preenchem TODOS os requisitos (por exemplo, a pessoa quer um visto de trabalho especializado mas não tem o ensino superior completo e sequer fala inglês, quer o de estudante mas não tem dinheiro suficiente para se bancar aqui sem trabalhar, quer o de família mas não tem familiares diretos que são residentes ou cidadãos e outros cenários) e são negados, ou já aprontaram alguma (tentaram vir para cá de qualquer jeito ou através de algum esquema e etc) ou simplesmente não leem os procedimentos direito e pela falta de um detalhe mínimo das leis do processo são negados.

  7. Lu, adorei o post pois era um assunto que tinha muita duvida e curiosidade sobre. Aproveitando o tema da publicação e a parte onde você diz que para trabalhar ai precisar ter o visto de trabalho e etc você poderia me responder, como faço pra adquirir este visto que deixa eu trabalhar nos EUA? Este ano termino o Ensino Medio e ano que vem pretendo pelo ou menos estudar nos EUA mas queria muito saber como posso trabalhar ai e etc. Obrigado!

  8. Olá Rafael,

    Com visto de estudante na maioria dos casos não se pode trabalhar. Você já pensou em vir aqui como au pair? Você pode daí fazer os dois. Recomendo que você leia sobre os tipos de visto de estudo e de trabalho no site do consulado americano no Brasil – Eles explicam tudo. Sucesso!

  9. Olá Lu. Parabéns pelo blog excelente! Aqui encontro as informações mais úteis. Já acompanho há um tempo, mas nunca comentei, rsrs
    Minha pergunta é: eu pretendo cursar bacharelado em Geografia aqui, e posteriormente tentar ir fazer mestrado nos Estados Unidos, se der tudo certo. Fazendo isso, posso, futuramente, ser professora de ensino médio ou universidade aí (que creio necessitar Ph.D)? Digo, se eu fizer o mestrado aí isso é possível? E se for, preciso da cidadania antes, certo?
    Obrigada.

  10. interessante tudo que voce escreveu,meu marido e veterinario aposentado,entre aspas ne!,nao sai pra nada,so dorme come e trabalha,ja tem mais de 70 anos,trabalha numa empresa de produtos veterinarios,ja fazem 3 anos,nunca tirou ferias,trabalha de domingo a domingo,tirando as quartas feiras que nao vai,ama trabalhar,,nao tem nada a ver o que vou escrever aqui,mas descobri uma coisa muito interessante,desculpe a burrice,mas ontem vi um programa de um juiz,uma mulher queria renunciar a cidadania,porque mesmo morando no Mexico por anos,sem vir pra ca,ela recebeu documentos que tinha que pagar as taxas,ela ficou enlouquecida,e disse que nao iria pagar,o juiz ate deu opcao pra ela,porque uma vez renunciando,nunca mais ela teria direito novamente,e que ela estava redondamente enganada,mesmo que renunciasse,teria que pagar as taxas,interessante ne!,porem eu ainda acho que vale a pena,vejo na tele todos os dias pessoas que se matam,para entrar neste Pais e ter oportunidades,e quem tem,quer jogar fora?e como sempre digo,agradeco a Deus todos os dias por viver aqui,amo demais

  11. Oi, poderia falar sobre fisioterapia? O mercado tá fáci aí? Tenho ingles, e acabei de chegar do ciencias sem fronteiras. Fiz 1 ano de estagio no Brasil e alguns meses aí.

  12. Oi Lu,Venho acompanhando seu blog já a muito tempo, inclusive ja fiz alguns comentários aqui tbm, mas tava meio sumida esses tempos , e vejo que tem muitos posts novos super legais e interessantes ;), então Lu eu tenho algumas dúvidas,algumas coisas que preciso muito saber, como eu faço para entrar em contato com você? poderia me reponder pelo e-mail?

  13. É Neusa, está em demanda também mas os tempos de vistos específico para enfermagem, por exemplo, já se foram. Isso sem falar na diferença acadêmica de cursos da área médica aqui e no Brasil. Validar e trabalhar aqui nessas áreas é mais complicado, agora na área de tecnologia se a pessoa for boa mesmo, há chances e a demanda é maior ainda. E nos útimos anos a imigração está bem em cima das empresas, trabalhar sem autorização de trabalho é ariscado. E o inglês então? Muita gente exige inglês até para empregadas domésticas hoje em dia 🙂 os tempos são outros.

  14. Lu parabéns pelo seu Blog! Fico muito entusiasmada com suas postagens. Tenho muita vontade de morar e trabalhar nos Estados Unidos, estou cursando Pedagogia, gostaria de saber se nesta área vou ter facilidade de emprego por ai? E como consigo trabalho legalmente, você sabe de alguma agencia especializada em relação a brasileiras? Grata espero sua resposta!
    Beijos

  15. Com 20 anos você ainda pode conseguir vir estudar e trabalhar aqui como au pair. Recomendo que você busque os artigos que escrevi sobre au pair aqui no blog. Tem até um post escrito por uma moça que veio aqui como au pair. Assim você pode saber um pouco mais sobre o assunto e ver se essa seria uma boa opção para você. Sucesso!

  16. Ai que bom Lu! Fico feliz por haver esta possibilidade, vou ler os artigos sobre au pair. Obrigado por tudo, você tem me ajudado muito.
    Beijos

  17. Que bacana esse site, várias dicas interessantes. Já visitei USA duas vezes, a primeira em 2008 fui em um congresso na matriz da Microsoft em Seatlle/ Redmond e a segunda no começo desse ano a passeio.

    Eu sou graduado em ciência da computação, trabalhei em grandes empresas no Brasil uma delas é a HP e minha última empresa é do setor de Bancos.

    Tenho 36 anos de idade e estou pensando seriamente em morar fora do pais, de inicio pensei nos USA.

    Tenho alguns conhecidos que inclusive moram legalmente no pais. Bom, chega de enrolação…rs. A minha pergunta para você é referente ao trabalho, eu tenho o visto conhecido como B1/B2, que não me permite trabalhar ai, se seu quiser fazer um curso por exemplo de alguns meses, e enquanto eu estiver ai eu posso aplicar a algum trabalho e caso seja aprovado eu consigo dar entrada no visto de trabalho? Ou eu preciso estar no Brasil para dar entrada no visto de trabalho?

    Obrigado Lu e parabéns pelo site !!!

  18. Oi Lu, tudo bem? Eu sei que você já deve ter falado sobre isso antes, mas é a primeira vez que entro no blog e não consegui achar a resposta. Seguinte, eu tenho um filho que é cidadão americano, ele nasceu nos EUA quando eu morei aí. Ele já tem 22 anos e eu queria saber como fazer para conseguir o green card através dele, para mim e para o meu outro filho, irmão caçula dele. Eu moro no Brasil e desejo voltar a morar nos EUA. Devo procurar o consulado americano aqui no Brasil ou tem que ser em algum escritório da imigração americana?
    Desde já agradeço a sua ajuda.

  19. Ola Leticia,

    Seu filho tem que pedir o green card para voce e depois quando voce tiver o GC, voce pede o documento para seu filho mais novo. Falo isso por que se – pelo que eu saiba, mas pode ser que as coisas tenham mudado nesse sentido, entao leia o site do USCIS.gov- irmao cidadao aplica para irmaoes pode levar decadas ate o mais novo conseguir o GC. Se seu filho e cidadao e ele nao tem o passaporte americano ainda, ele deve ir na embaixada americana mais proxima de voces e pegar os documentos americanos dele. depois disso ele abre o processo para voce, as instrucoes para isso podem ser encontradas no site do consulado americano e no site do USCIS.gov. Depois de ter seu GC voce aplica para o mais novo, se ele for menor de idade ate la as coisas correm mais rapidas para ele conseguir o GC, se ele ja for maior, demoraria um pouco mais. Se voces acharem tudo muito complicado, voces podem entrar em contato com um advogado de imigracao especializado em familia para saber mais.

    Sucesso para voces !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *