Cultura Americana, Curiosidades, Dicas de viagem

As Impressões De Um Turista Nos EUA

turista conta sua estadia nos EUA

A entrevista abaixo nos foi concedida pelo Leonardo Froeder, ele veio para os EUA como turista e vai nos contar sobre suas primeiras impressões , sobre seus planos e objetivos.

 

V.N.E.:  Como você veio para os Estados Unidos?

Leonardo: Eu vim para os Estados Unidos legalmente, com visto de turista.

V.N.E.: A quanto tempo você mora aqui?

Leonardo: Estou morando aqui a 5 meses e meio.

V.N.E.: Você veio para cá sozinho ou com sua família? Como foi seu processo?

Leonardo: Vim com toda a família, esposa e 2 filhos pequenos uma de 8 anos e outro de 3 anos. Nossa vontade era vir em 2007, mas só tomamos coragem agora em 2013, por diversas razoes no início era o medo da crise, depois veio nosso filho mais novo e esperamos ele completar pelo menos 2 anos para vir.

V.N.E.: Como você está se adaptando por aqui? Você sentiu alguma dificuldade. Em caso positivo, em que âmbito?

Leonardo: A adaptação e muito difícil, a primeira grande dificuldade e o idioma, depois os tipos de empregos que nós imigrantes precisamos nos sujeitar a fazer, pelo fato de não falarmos o idioma essa situação e um fator ainda mais complicado, pois para entrarmos em uma zona de conforto procuramos empregos com compatriotas brasileiros, mas em geral não generalizando eu senti que os brasileiros aqui procuram explorar recém chegados, pagando menos do que pagariam a um cidadão americano ou a uma pessoa devidamente documentada para trabalhar aqui.

V.N.E.: A maioria dos brasileiros costuma dizer que sente saudades de certas coisa do Brasil. Você também? Do quê?

Leonardo: A saudade sempre vem nas horas difíceis, acredito que se uma pessoa vem viver aqui, mas vem com estrutura financeira estabelecida a saudade não é tanta, mas para quem vem recomeçar a vida do zero as comparações ocorrem nos mínimos detalhes, ainda mais se você não tinha uma vida tão sofrível no Brasil.

Para ser sincero, ainda sinto saudade de tudo do Brasil, das pessoas, do calor humano, das comidas, das reuniões com amigos e familiares no fim de semana, do clima, se pudesse descrever aqui tudo acho que não teria espaço em seu blog, mas acredito que este sentimento de saudade é normal ainda mais para recém chegados.

V.N.E.: Você se mudou definitivamente ou pretende voltar para o Brasil?

Leonardo: Vim a princípio para ficar 6 meses e conhecer o estilo de vida, mas todos me falam que 6 meses é muito pouco então dei entrada no pedido de extensão do visto pretendo ficar pelo menos 1 ano, pois é o prazo que posso ficar legalmente aqui.

Pretendo voltar ao Brasil no próximo ano e quem sabe depois venha a vir morar aqui definitivamente, mas sempre que podendo voltar ao nosso país, pois apesar de todos os problemas que enfrentamos no Brasil, lá é nossa pátria, nossa origem e isso não podemos perder.

V.N.E.: Como você compararia o Brasil e Estados Unidos nos seguintes quesitos: política, economia, educação, lazer, qualidade de vida e custo de vida?

Leonardo: A comparação é sempre inevitável, mas vou opinar nos assuntos que já conheço aqui, deixando de lado a política, e a economia.  Em relação à educação já deu pra sentir o nível de escolas públicas aqui e muito superior até mesmo a de muitas escolas particulares brasileiras, ainda não posso avaliar a grade escolar, pois meus filhos só vão começar efetivamente o ano letivo agora em agosto.

Em relação à educação do povo americano, percebi que são sempre muito educados, sempre pedindo licença, agradecendo, dando bom dia, mesmo sem te conhecer, mas como em todo lugar existem exceções à regra, também existem pessoas brutas no modo de falar e por vezes impacientes com imigrantes que não falam o idioma.

Quanto ao lazer temos tudo aqui na florida, parques, praia, clima agradável, restaurantes para todos os gostos, só não tem lazer quem trabalha muito e quando chega em casa só pensa em descansar.

Sobre a qualidade de vida e o custo acredito que as duas estão diretamente relacionadas. Em geral vejo que as pessoas aqui tem mais acesso as coisas materiais, como um bom carro, boas roupas, moram em ótimos lugares.

Mas entra nessa comparação a idéia que sempre queremos o melhor então, é difícil falar, pois uma pessoa que no Brasil morava numa favela e chega aqui e mora em um apto de 2 quartos sente que e ótima a qualidade de vida, mas quando começamos a olhar ao redor e vemos o padrão de vida de muitas pessoas aqui, por vezes nos sentimos ainda inferiorizados pois percebemos que para alcançar o sucesso o caminho aqui também será longo.

V.N.E.: Como surgiu a idéia de criar o site?

Leonardo: A idéia do site veio primeiramente em fazer como hobby, mas ao chegar aqui nos USA senti falta de um site de qualidade no seguimento do atevender.com.br em nosso idioma então me propus a fazer isso.

V.N.E.:  Conte para nós os objetivos do seu site.

Leonardo: O objetivo do site e ajudar as pessoas em geral a comprar, vender, procurar empregos, prestar serviços, e tudo mais que um site de classificados oferece, sendo que tudo isso e oferecido sem cobrar nada dos usuários.

O único tipo de cobrança e para anúncios destacados geralmente feitos por empresas e anúncios que ficam no site até vender, ou seja, excluído pelo usuário.

Os anúncios gratuitos ficam ativos por um prazo de 30 dias, após este período são automaticamente excluídos sendo necessário que o usuário faça outro anuncio.

V.N.E.: Quais diferenças você vê no uso da internet pelos os brasileiros e os americanos?

Leonardo: Ainda não tenho opinião formada sobre esse assunto, pois ainda não conheço muitos americanos. Em relação aos Brasileiros em Geral estão muito ligados às redes sociais, e passam boa parte do tempo on-line nessas plataformas, aqui vejo isso um pouco limitado, pois em horário de trabalho a não ser que esteja ligado a sua profissão, as pessoas são proibidas até de usar o telefone a não ser que seja em caso de muita urgência.

Uma observação que não poderia deixar de fazer e o fator de ver muito no transito pessoas on-line usando text Message, soube que aqui a febre e tão grande que já tem lei e campanhas alertando e proibindo as pessoas de fazerem isso no transito, percebi que também as pessoas aqui preferem enviar um text do que efetuar uma ligação telefônica.

 

Quer saber mais sobre os EUA ? Veja as 101 Dicas da Lu 

Gostou Do Post? Compartilhe Com Seus Amigos.

9 comentários sobre “As Impressões De Um Turista Nos EUA

  1. Pelo que vejo ele foi apenas com visto de Turismo!
    Como pretende mudar para lá?!
    Iria ficar ilegal mesmo?! Caso negativo que visto irá pedir?!

  2. Boa tarde Lu,
    Estava pesquisando como trabalhar nos EUA e encontrei seu blog. Gostei muito pois vi que vc tira muitas duvidas. Se possível te minhas duvidas. Meu marido recebeu uma proposta prata trabalhar em Jacksonville, FL. A empresa vai contrata-lo de uma forma que ele conseguira o SSN. Eu vou como acompanhante, para trabalhar eu precisaria de um documento de contratação tmb? Eu e meu marido ja temos visto B1 e B2. Preciso tirar outro visto? Obrigada

  3. Olá Thais,

    Você já tem o visto de acompanhante, você não precisa tirar outro. Quanto a vc poder trabalhar, vc tem que checar isso no site da embaixada americana no Brasil e/ou no site do USCIS para saber quais são seus direitos e deveres, o que vc pode e não pode fazer com seu tipo de visto de acompanhante. Eles explicam tudo.

    Sucesso!

  4. Tenho uma enorme vontade, há anos, de morar nos EUA e sempre pesquiso informações sobre o assunto. Curiosamente me deparei com a entrevista do Leonardo que contem uma série de coincidências com minha vida. Sou casada, tenho uma filha de 8 anos, um filho de 3, e só poderia entrar no país com visto de turista. Gostaria de saber se posso enviar minhas várias dúvidas diretamente por e-mail direcionado ao Leonardo. Agradeço muito a atenção.

  5. eu gostaria de saber se possivel voce me passar o telefone do senhor Leonardo pra eu ligar pra ele,eu entendo as dificuldades dele e de sua esposa,pois nao foi facil para mim tb,ate hoje tenho minhas dificuldades,ja que resido aqui nos EUA quase 5 anos,mas depois que passa a fase dificil digamos assim,pelo menos eu,nao quero nunca mais voltar para o Brasil,quando muito ver as pessoas,comer uma comidinha caseira e tal,a minha maior felicidade e ver o quanto meus filhos tem progredido,meu filho esta em uma universidade que paga para que ele estude,o outro ama o exercito,por isso entrou pra esta carreira,e quantos aos brasileiros,nao vou generalizar,alguns poucos que me desculpem,mas odeio ter amizades com brasileiros,e assim mesmo,porque estao com a vida melhor,alem de explorar aqueles que chegam,se sentem a ultima bolacha do pacote,esquecem da onde vieram,beijos

  6. Olá Rita,

    Infelizmente não tenho o telefone do Leonardo. Mas você pode entrar em contato com ele através do site dele, há um formulário de contato por lá parecido com o que temos aqui. O Link para o site dele se encontra no topo desse artigo.

    bjs

  7. Olá Joana,

    Não tenho o e-mail do Leonardo, mas vc pode entrar em contato com ele através do site dele. O link se encontra no topo do post. Sucesso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.