Cultura Americana, Curiosidades

Curiosidades Sobre As Eleições Americanas

curiosidades sobre o processo eleitoral nos EUA
por donkeyhotey via flickr

Mais um ano de eleições presidenciais nos Estados Unidos (data que varia desde o dia 2 ao dia 8 de novembro) e para os brasileiros que moram ou que passam pelos EUA nessa época é praticamente impossível deixar de notar as diferenças eleitorais daqui.

Votar não é obrigatório!

Uma das primeiras coisas que se nota é que votar não é algo obrigatório nos Estados Unidos. Claro que para poder votar você deve possuir cidadania americana, mas fora isso cidadãos podem votar ou deixar de votar. A escolha é deles.

A quantidade de partidos políticos:

Outra diferença marcante é que há bem menos partidos políticos  de maior influÊncia nos EUA do que no Brasil. Há o partido conservador (os republicanos) e os progressistas (os democratas) e vira e mexe aparecem candidatos independentes, ou seja, eles não possuem apoio de nenhum dos dois partidos citados anteriormente. Há ainda o partido dos libertarians (os quais se dizem centristas).

O eleitorado americano portanto é dividido basicamente entre os conservadores (republicans), os democratas (democrats), os independentes (independents ) e os centristas (libertarians). Mas claro que há partidos de calibre menor, que nem o partido verde (acho que quase todo país deve ter um desses rsrs). Se estiver curioso veja uma lista de inúmeros partidos americanos nesse site.

Flag-donkey
O animal símbolo do partido democrata americano, o do partido republicano é um elefante.

Outra coisa interessante a notar é que para poder votar, um cidadão americano deve ser registrado como pertencente a um dos dois partidos vigentes ou como um independente. Sendo assim, é possível encontrar americanos cadastrados como republicanos que votam para candidatos democratas (ou vice-versa) de vez em quando. Porém isso é permitido somente durante as eleições finais. Nas eleições primárias há muitos estados que proibem os independents, por exemplo, de votar para candidatos democratas e/ou republicanos.

 

U.S. party affiliation
Divisão dos cidadãos registrados em cada partido nos EUA no ano de 2007.

* Detalhe da imagem usada acima. As cores usadas no gráfico não foram escolhidas aleatóriamente, cada partido possui sua cor oficial e as cores “oficiais”de cada um deles são vermelho para os republicanos, azul para os democratas e dourado para os independentes.

As leis eleitorais são estaduais (surpresa!) e também partidárias:

Embora o fato de eleitores serem cadastrados com um partido específico não os impede de votar para candidatos de outros partidos ou para os independentes.

Como tudo nos EUA, cada estado tem suas leis eleitorais e cada partido tem as suas próprias leis eleitorais, portanto nem a maneira com a qual se escolhem os candidatos é a mesma – embora seja parecida – entre partidos diferentes.

E como há um número menor de partidos, consequentemente teremos bem menos candidatos concorrendo aos mesmos cargos (alguém já parou para imaginar se algo desse tipo seria possível no Brasil?).

Propaganda e horário político:

Em época de eleição por aqui, seja para cargos municipais, estaduais ou presidenciais, dificilmente você verá panfletos  políticos entupindo as ruas, o máximo que se vê pelas ruas é um ou outro cartaz pequeno colocado em algum cruzamento (e de maneira bem discreta) ou em adesivos nas traseiras de carros.

O mesmo pode ser dito do horário político, o que é inexistente aqui… Isso não quer dizer que propagandas políticas não passem na televisão mas que não há um horário específico dedicado somente a campanhas políticas e ele não é de graça. Políticos e seus partidários gastam horrores de dinheiro com propagandas na TV. Essas propagandas não são necessariamente de âmbito nacional, elas podem passar em estados especícifos em datas específicas. Geralmente antes das primárias de tais estados.

Os debates políticos na televisão:

No entanto, as assembléias (town halls) e debates (debates) de ambos partidos são transmitidas para todo país e as redes de TV até indicam descaradamente suas preferências políticas (esse ano por exemplo, a FOX – como sempre – puxa o saco dos republicanos, enquanto a MSNBC puxa a sardinha para o lado dos democratas e a CNN e redes de TV aberta ficam meio a meio, dependendo do interesse político do apresentador ou apresentadora do programa sendo assistido), as demais redes de TV que transmitem debates agem da mesma forma que a CNN.

A votação pode ser feita por correio!

Em alguns estados americanos é possível votar até com um mês de antecedência, esses eleitores geralmente possuem uma idéia fixa em quem eles votarão e não dependem dos resultado dos debates anteriores à eleição para se decidir. Já em outros estados a votação ocorre por correio e não em postos eleitorais autorizados.

Participação ativa dos eleitores:

Quando americanos gostam de política, eles participam com gosto (já que eles podem se dar ao luxo de votar ou de simplesmente ignorar o que se passa no país deles sem ter que justificar por que não foi votar) e como aqui os partidos políticos pedem descaradamente por doações para ajudar nas campanhas, há muitos americanos que doam tanto dinheiro quanto seu tempo para ajudar nas mesmas.

Lembrando que pessoas que doam altas quantias de dinheiro para campanhas políticas nos EUA não podem manter anomimato e quando você pergunta para qualquer um para quem eles vão votar eles te falam na cara dura e ainda explicam o porquê… Quando no Brasil essa pergunta é considerada um sacrilégio.

Quanta diferença, ein? 😀

crédito imagem: 
2. by David Ball (Original work) [GFDL, CC-BY-SA-3.0 or CC-BY-2.5], via Wikimedia Commons

Quer saber mais sobre os EUA? Veja as os ebook da Lu

Gostou Desse Post? Compartilhe Com Seus Amigos!

7 comentários sobre “Curiosidades Sobre As Eleições Americanas

  1. Sabe, isso é o que eu chamo de DEMOCRACIA!

    Quanto ao lado de cá da fronteira, não acho que exista uma solução emergencial. Se por um milagre Brasilia tornar o voto facultativo, 5% da população brasileira irá às urnas nas próximas eleições, sendo que uma parte deste percentual corresponderá aos familiares e amigos dos candidatos.

    Agora, o que eu não sabia e fiquei alarmado aconteceu nessa eleição. Uma mulher foi votar, cumprir seu dever como cidadã deste “país democrático”, e, para sua surpresa, foi informada de que o mesário da seção havia faltado e que ela deveria ocupar seu lugar. Ela então questionou o que aconteceria caso se recusasse a fazê-lo, e como reposta recebeu que “pegaria 3 ANOS DE PRISÃO”!

    É O FIM! Isso me remete aos regimes de alguns países orientais!

    Bom, levando em consideração que o Brasil é um país LAICO que abre espaço para bancadas CATÓLICA e EVANGÉLICA (as quais representam os interesses do povo muitas vezes com base em preceitos bíblicos), subentende-se por que as coisas são como são por aqui.

    P.S.: Estou novamente na torcida por Barack Hussein Obama! Não combina uma América livre e conservadora!

  2. Muito interessantes essas curiosidades. Adorei as informações e acrescento que de fato, algo assim talvez demorasse a dar certo no Brasil.

  3. Olá Robert,

    Vai ver que é por isso que alguns dos comentários que recebo fazem tanta menção e adoração ao regime da China rsrsrs Eles não querem que o sistema brasileiro mude.

    O que é triste sobre o partido conservador daqui é justamente que nas últimas décadas ele não é mais o partido conservador e sim o partido dos “malucos conservadores” e que ele foi “sequestrado por um bando de doidos” ou o partido que somente tem em vista o bem estar dos milionários, como muitos na mídia americana dizem e concordo com eles.

    Sinceramente queria que mais brasileiros que moram aqui tambem concordassem com o que foi dito acima, infelizmente esse não é o caso.

  4. Robert vc foi infeliz no seu comentário com relação aos católicos e evangélicos desde de quando o Brasil é governado por essas duas bancadas? O Brasil é governado por políticos que não tem respeito pelo povo, na verdade o que eles querem é um povo sem cultura, sem educação para continuarem sempre no poder.

  5. Muito legal. Obrigada!
    E quanto ao trabalho das pessoas? Também fica uma semana meio morna devido às eleições ? Ou seja, as pessoas são dispensadas do seu emprego para votar?
    Obrigada

  6. Olá Maria,

    Só no dia de escolha da pessoa para votar (muitos estados aceitam votação antes do dia da eleição, estima-se que 28 milhões de cidadãos já votaram com antecedência no país), aqui as coisas não páram por causa de nada. Quero dizer que a mania de emendar feriados não acontece da mesma forma que no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *