Curiosidades, Dicas de viagem, Para imigrantes

Como Evitar Situações Difíceis Nos Estados Unidos?

gastation2

Outro dia presenciei uma cena interessante dentro de um posto de gasolina por aqui. Havia uma fila enorme no caixa do posto e um conterrâneo, provavelmente um turista, estava a discutir com o atendente do posto.

O brasileiro não entendia o atendente e o atendente não entendia o nosso conterrâneo. E o motivo para isso é simples, o brazuca em questão não falava nadica de inglês e não sabia como um posto de gasolina nos Estados Unidos funciona.

Para piorar a situação, e fazê-la mais cômica por sinal, o atendente era indiano e possuía um sotaque fortíssimo difícil de entender para quem fala inglês, até para nativos, quanto mais para quem não entende nada.

O brasileiro estava tentando explicar que tinha deixado 50 dólares de “garantia” com o indiano e que agora que já tinha colocado gasolina no carro, ele ia pagar por ela com um cartão de crédito. O atendente se recusava a dar o dinheiro de volta.

Essa situação poderia ser resolvida de duas maneiras simples: o brasileiro tinha que falar inglês e entender como postos de gasolina operam por aqui. Para fazer esse último, ele poderia ter se informado com algum conhecido dele que já mora por aqui como as coisas funcionam nessas bandas.

Mas ele certamente achou que se viraria super bem por aqui sem nada de inglês e obviamente não se interessou em saber como tudo funciona aqui e por essa razão se estressou à toa.

Enfim, depois quando digo que é importante aprender inglês para vir para cá (mesmo a turismo) tem muitos que duvidam.

Quer se Frustrar por aqui? Siga o exemplo do nosso conterrâneo acima. Quer evitar situações como essa? Informe-se e seja aberto a aprender coisas novas e ,obviamente, inglês!

[box title=”Quer morar e/ou se adaptar nos EUA?” color=”#f00″] Veja as dicas da Lu: 101 Dicas Para Quem Quer Morar Nos EUA [/box]

Gostou Desse Post? Compartilhe Com Seus Amigos!

10 comentários sobre “Como Evitar Situações Difíceis Nos Estados Unidos?

  1. Caraca…. tão mais interessante saber os costumes, maneiras e formas de viver no país que estamos visitando… se idioma aperta pelo menos saber em que lugar estar. Acho isso básico em qualquer lugar do mundo, seja no brasil, japão, eua ou europa;;; que tenha conhecimento de no minimo um pouco da cultura local.

  2. Não sei por que você está assumindo que não ajudei ele, Flavia 🙂 Eu intervi e expliquei para o atendente do posto o que se passou e a situação se resolveu.

  3. Claudio,

    A gente paga ou com cartão nas bombas ou com dinheiro dentro do posto e coloca a gasolina por conta própria, mas não dá para trocar o tipo de pagamento uma vez que esse foi efetuado. Isso é o que o brazuca estava tentando fazer.

  4. O Visitante tem o dever de saber algo sobre o país que esteja visitando (inclusive língua). Sejam Brasileiros visitando o EUA, Europa e Ásia ou vice-versa.

  5. Já fui para o EUA sem falar inglês e não tive problema algum.
    Basta pesquisar na net como as coisas funcionam.
    Se não falar inglês é um grande problema, como ficaria um mudo?
    O importante é saber se comunicar com calma…
    Eu abasteci o carro lá de boa falando só o número da bomba em inglês e pagando o valor…

  6. O que você descreveu é uma situação simples, Rogério. Se bem que você disse não falar nada de inglês e sabe falar os números 😀 Agora em situações mais complexas, como no caso do artigo, o qual presenciei, é diferente. A pessoa precisa saber se explicar, em emergências médicas ou acidentes, como é que a pessoa vai se explicar sem falar nada de inglês?

    E inglês não é só para vir para cá. Se você vai para qualquer outra parte do planeta e você não fala o idioma deles, você vai encontrar pelo menos uma pessoa que fale inglês.

    Brasileiro tem que se conscientizar que americano só fala inglês e a maioria não se interessa por outros idiomas por um motivo simples: o mundo inteiro fala inglês. Eles ficaram acomodados. Agora brasileiro tem essa mania de querer pensar igual a americano nesse sentido sem ter base para isso.

Faça parte da conversa: