Cultura Americana

EUA: A Terra Das Escolhas

Uma das coisas das quais os americanos mais têm orgulho é da famosa liberdade. Liberdade de imprensa, liberdade de expressão, liberdade política, liberdade de praticamente escolher o que se bem entender.

E essa liberdade toda tem lá lá suas vantagens e desvantagens. Vamos a alguns exemplos abaixo:

Você pode pertencer à igreja que quiser e praticar a religião que quiser. Se você estiver a fim, pode até mesmo inventar sua própria igreja e não pagar impostos para tal. Maravilha, não?

Você pode trabalhar para os outros, mas você pode abrir seu próprio negócio… Se você quiser e é bem mais simples abrir negócios por aqui, tanto devido ao poder econômico das pessoas quanto na facilidade de se conseguir empréstimos e no quesito de impostos, isso sem falar na burocracia menor em geral.

Você pode estudar no campus de uma universidade e em certos casos estudar na mesma universidade, porém do seu computador de casa.

Crianças não necessariamente precisam ir para a escola, elas podem ser educadas pelos pais em casa. Crianças podem até deixar de tomar certas vacinas se essa for a decisão de seus pais. Não tão boa, essa última idéia.

Você pode escolher se quer votar nas eleições ou não.

Você pode pedir seu hamburguer com tomate, ou sem tomate. Com cebola ou sem cebola. Sua salada com molho ou com molho separado. Na maioria dos restaurantes e mesmo em redes de fast-food você pode “personalizar” seu prato do jeito que quiser.

Seu café pode ser feito de mil maneiras e se você for a uma churrascaria americana quase sempre haverá opções para vegetarianos ou se elas não existirem o chefe pode improvisar uma especialmente para você.

Há praticamente opções para as mais variadas situações e para todos os tipos de pessoas e espera-se que essas escolhas sejam respeitadas.

Isso é bom muitas vezes, já em outras pura distração e imagino se não poderíamos simplificar as coisas.

 

Quero Morar Nos EUA !

 Gostou Do Post? Compartilhe!

1 comentário on “EUA: A Terra Das Escolhas

Faça parte da conversa: