Cultura Americana, Curiosidades

O Conceito De Raça Nos Estados Unidos

Embora os Estados Unidos sejam uma “melting pot” (um caldeirão como eles gostam de chamar) onde há imigrantes de diversas culturas, não há tanta miscigenação como no Brasil. O conceito de raça aqui é bem definido, ou seja, você é branco, negro, asiático, latino ou “outros”. E fora os brancos, todas outras etnias são consideradas minorias étnicas.

Essas “minorias” geralmente se aglomeram em comunidades, cada qual enforçando sua própria identidade e parâmetros culturais. Isso ás vezes dificulta o relacionamento entre pessoas de comunidades diferentes.

As diferenças culturais que esses parâmetros criam podem ser vistas por toda parte, um exemplo é a própria língua. Mesmo se você falar o inglês muito bem, é provavel que você terá certa dificuldade ao conversar com indivíduos afro-americanos, caribenhos ou até mesmo hispânicos.

Isso acontece porque eles possuem sua própria maneira de se comunicar, seja com gírias que pertencem somente à comunidade deles, ou com sotaque fortíssimo, mesmo que eles tenham nascido aqui e pertençam à terceira geração de imigrantes. Lembrando que as gírias deles não são regionais e sim derivam da cultura da vizinhança onde eles vivem.

Certas comunidades  influenciam tanto que o comportamento de seus indivíduos passa a ser copiado por brancos, os quais são considerados “maioria”, e viram “mainstream”. Pode-se dizer que a cultura hip-hop (afro-americana) e a Jamaicana (reggae, rastafari, Bob Marley) chegaram a esse ponto e a quantidade de jovens brancos querendo pertencer a essas “tribos” não é pouca.

Falando nisso somente pelas roupas de um indivíduo (especialmente dos jovens) e a maneira com o qual fala e como fala podemos encaixá-lo perfeitamente nas tribos sociais abaixo:

Afro-americana: ouve música hip-hop, R&B, veste roupas com cores vibrantes, usa a calça nos joelhos mostrando a cueca, andam cheios de “blings” leia-se “muitooo ouro”, fala alto e gesticula muito (especialmente as damas quando acham que estão certas e discutindo com você), as mulheres geralmente se vestem provocativamente, usam unhas postiças multicoloridas igual ao Zé do Caixão e perucas das mais diversas cores 😀

Latina: As roupas são parecidas com as dos rapazes do hip-hop… mas eles escutam Reaggeton, músicas em espanhol e “spanglish” , obviamente,  e também algum rap e hip-hop. Gostam de carros a la “The Fast and the Furious” e praticam racha regularmente. As latinas vestem roupas justíssimas, de preferência calça branca com top curtíssimo que parece biquíni, elas também amam spandex. Como acessórios não pode faltar os brincos de argola gigantescos e as pulseiras a la J-Lo. Elas também falam alto e rebolam quando discutem com você e chamam os namorados delas de “papi”.

Redneck: Esses são parte dos brancos, 99% das vezes não gostam de pessoas que não perteçam a sua raça, moram no sul e são republicanos. Gostam de pescar, muitos são donos de RV’s, curtem acampar, ouvir música country e assistir motocross ou carros tipo “monsters” amassando obstáculos feitos com carros normais. Eles geralmente andam armados, tem barrigão de cerveja, vestem camisas xadrez, bonés, calças jeans e botinões. As mulheres geralmente não cuidam do cabelo, vestem o que eles chamam aqui de “mom jeans” aqueles jeans que vão até os peitos e camisetas sem graça. Esqueci de mencionar o forte sotaque sulista que eles têm, se você lembrar do Bush falando, você sabe qual é.

Viva Reggae! (coloquei esse nome, por que o nome original é muito ofensivo): Jovens brancos com rastafaris que gostam de fumar, você sabe muito bem o quê, enquanto ouvem músicas do Mr. Marley, eles também geralmente gostam de surfar e curtir a vida numa boa, sem pressa.

Asiáticos: se vestem com roupas sem graça (com exceção dos japoneses), eles são geralmente extremamente tímidos e na maioria das vezes eles estão falando mandarim/cantones, ou seja, você não conseguirá ter uma conversação com nenhum deles. Muitos são donos de restaurantes chineses e seus filhos tiram excelentes notas na escola e entram para Harvard. Especialmente se eles forem coreanos. Alguns jovens asiaticos sao o oposto e imitam a cultura hip-hop e a latina.

Japoneses = turistas (que se vestem de maneira berrante e tiram fotos sem parar) pra quê eles morariam aqui? O país deles é de primeiro mundo.

Indianos: donos de postos de gasolinas, ainda praticam casamento arranjado e importam muitas noivas da terra natal. São tímidos e conservadores. Não dão muita conversa. Adoram véus e jóias. Significativa parte deles viram médicos.

Indonésios: como os brasileiros, eles também são confundidos com hispânicos.. Pelo menos eles têm a desculpa do sobrenome espanhol 😀

E finalmente os brasileiros: comunidade de imigrantes que gostam de dançar, comer pastel, são geralmente simpáticos e várias vezes  são confundidos com hispânicos ou como pertencente à comunidade hispânica. Ouvem as frases “I thought they spoke Spanish in Brazil” e “Ah Brazil! Carnival, samba!” quase todas as vezes que dizem ser do Brasil.

Esse texto  descreve de maneira humoristica certas tribos sociais da populacao jovem desse pais.

8 comentários sobre “O Conceito De Raça Nos Estados Unidos

  1. Olá Lu! Encontrei seu blog por acaso e estou gostando muito, parabéns…
    Gostaria de saber se é comum o relacionamento (amoroso) entre essas raças, por exemplo os afro-americanos costumam se relacionar com os brancos ou é mais ou menos “cada macaco no seu galho”? Pelos seriados vemos que existe uma certa barreira e quem é do gheto não se mistura com brancos e vice versa…

    Obrigada!

  2. Olá Lu! Eu sou bisneto de Europeus, alemão por parte de mãe e Polonês por parte de pai, sou branco, loiro de olhos verdes, me pareço muito com os Europeus quando se fala em aparência hehe e a minha duvida é a seguinte, eu ai serei considerado da raça branca mesmo sendo Brasileiro?

  3. Olá Douglas,

    Brasileiros brancos são considerados brancos nos EUA. Mulatos são considerados negros e qualquer mestiço um que pareça um pouco hispâno é considerado hispâno. É assim que funciona. Outro dia mesmo, estava com um amigo americano em Miami e vi uma moça com uma roupa estranha, comentei sobre isso e falei aquela mulher branca lá, meu amigo me disse, ela não é branca, ela é hispâna provavelmente cubana (Miami é praticamente Cuba) . Ela era bem branca na minha opinião (quase tão branca quanto muitas argentinas) mas na opinião dele ela era cubana. Perguntei se era por causa da bunda dela (cubanas são famosas e reconhecíveis pela bundona – sim brasileiras, elas tem bundas grandes rsrsrs) e ele disse que era por causa do cabelo dela, que era tão preto que eu como mulher sei que era pintado (muitas americanas brancas adoram pintar o cabelo bem preto) mas como ele é homem não sabe a diferença considerou ela hispâna rsrsrs Deu para entender? Um so traço latino e você é hispâno. Um só traço afro e você é negro.

  4. Encontrei este blog, por acaso, e acabei me apaixonando.

    Lu, eu já li, em alguns artigos científicos, que até a década de 2040, a população americana será de maioria negra. Essa informação é propagada por aí? Além disso, queria perguntar acerca do racismo: é comum ou inadmissível?

    Abraços…

  5. O que chamam de “mulato” é o negro. Esse termo é horroroso e totalmente inadequado. Aqui no Brasil inventaram muitos termos para não se falar em “negro” ou “preto”.

  6. Olá Lu, acabei encontrado essa matéria em seu blog através de pesquisas na internet porque queria saber uma coisa, porque nos EUA pessoas brancas (morenas de pele clara, cabelo liso e cia) são consideradas chamadas de “pessoas de cor”? Por exemplo, a Thalia, atriz mexicana é branca e talvez lá ela seria considerada hispânica ou “de cor” dizem que até a atriz mexicana Anahí (que é loira de olhos azuis) não é considerada branca nos EUA, é verdade isso?

    Eu sou branca de olhos verdes e cabelos castanhos, se eu fosse pra lá eu seria considerada uma pessoa de cor por ser latina? Porque aqui todo mundo fala que eu sou branca e tal, queria saber se lá também seria assim ou não. Abraços!!

  7. Olá Anna,

    Esse assunto é complexo de entender pela maneira (e falta de informação) que americanos têm dos termos. Para começar, muitos americanos acham que hispâno/latino é uma raça e o termo latino tem vários significados possíveis, em muitas regiões dos EUA latino se iguala a hispâno. Escrevi com mais detalhes sobre o assunto aqui: O Censo Americano e os Hispânos ou seja, um grupo que tem que ser separado (mesmo por motivos culturais somente) mesmo se a pessoa for branca, negra, mulata etc. Então eles dizem que não tem nada a ver com raça mas para quê dar destaque então e colocar o item numa pergunta que se refere a raça? Dizem ser pela cultura mas cada país hispâno da América Latina tem sua própria cultura…

    Para saber basta ver se você é hispâna ou o que americanos chamam de “latina” basta ver se você tem raízes espanholas. Alguns brasileiros são hispânos, outros não. O termo latino nos EUA se refere a hispâno, então às vezes americanos consideram brasileiros como hispânos pois assumem que se fala espanhol no Brasil, então para alguns é falta de conhecimento.

    Sinceramente não sei se quem prefere essa separação são os próprios hispânos ou se os americanos…

Faça parte da conversa: